JS O Mão de Ouro
Crédito: divulgação
 

Em comemoração aos 250 anos do nascimento do compositor alemão Ludwig van Beethoven (1770-1827), a Warner Music Brasil convidou Jonathan Santos, mais conhecido como JS O Mão de Ouro, para transformar as 5° e 9° Sinfonias de Beethoven em ritmo bregafunk.

O desafio foi aceito pelo brasileiro, um dos produtores mais famosos do gênero, e já estão disponíveis nas plataformas digitais as versões criadas por JS. Para se ter uma ideia, ele é o nome por trás de “Tudo OK”, o maior hit do Carnaval 2020, e vem realizando parcerias com Pabblo Vittar, Dadá Boladão, Pedro Sampaio, Felipe Original e Kevin O Cris.

Considerado um dos pilares da música ocidental, com atuação no período de transição entre o Classicismo (século XVIII) e Romantismo (século XIX), Beethoven permanece como um dos compositores mais respeitados e influentes de todos os tempos, tendo sua obra amplamente representada em inúmeros filmes e anúncios publicitários até os dias atuais.

A parceria da Warner com JS tem como principal propósito aproximar o público mais jovem da música de Beethoven. Confira a seguir nossa entrevista com JS O Mão de Ouro sobre essa novidade.

TMDQA!: A Warner Music te convidou para criar uma versão exclusiva em bregafunk da 5° e da 9° Sinfonia de Beethoven em comemoração aos 250 anos do nascimento do compositor. Como você reagiu a esse chamado? Foi desafiador?

JS O Mão de Ouro: O convite rolou através da conversa entre as gravadoras. A Warner entrou em contato com a Los Pantchos, a empresa que me agencia, e a gente topou, com certeza. Que DJ não gostaria de ser chamado para produzir um trabalho desse tamanho? Assim que eu escutei o arquivo, eu senti uma energia muito forte, uma honra muito grande por estar fazendo parte de um projeto como esse.

Uma Sinfonia é uma obra muito longa, tem toda a sua importância para a história e trabalhar em cima dela requer muito cuidado e respeito. Foi um trabalho de mais ou menos 6 horas no estúdio. A minha ideia foi pegar as partes mais conhecidas da música para poder encaixar no estilo bregafunk. Acho que conseguimos cumprir com a missão de tornar a sinfonia mais agradável para o público mais jovem!

TMDQA!: Você gosta de música clássica? Procurou conhecer mais da obra do Beethoven?

JS O Mão de Ouro: Eu gosto de todo tipo de música, e adoro ouvir de tudo para ter mais referências para o meu trabalho. E foi bem interessante ter contato com a obra do Beethoven porque várias vezes eu já ouvi partes de suas sinfonias, mas não sabia que algumas eram dele.

A sua obra é usada em muitos filmes, séries ou comerciais e não sabemos que é fruto da imaginação de um dos maiores compositores que temos no mundo. Eu ouvi bastante as Sinfonias e li um pouco da sua história para poder pegar as partes mais famosas e encaixá-las no brega funk.

TMDQA!: A ideia é apresentar ao público jovem a música erudita de forma mais palatável. Essa galera nova tem recebido esse projeto de que forma?

JS O Mão de Ouro: Sim, já tenho recebido alguns stories engraçados que fizeram com a música. É muito legal saber que, agora, qualquer criança pode dançar o passinho do Beethoven, rs. A Sinfonia deixou de ser algo distante para os mais jovens e para as pessoas mais humildes. E, além disso, essa produção é uma vitrine muito grande para o meu trabalho, tem capacidade de chegar em muitos outros países.

TMDQA!: Você saiu de Recife, em Pernambuco, e ganhou fama pelo Brasil como produtor dos maiores sucessos do bregafunk, um dos ritmos mais populares atualmente. Como você enxerga essa jornada?

JS O Mão de Ouro: Eu me sinto muito feliz em saber que aquele movimento que começamos lá no Jardim Paulista Baixo, minha comunidade em Recife, tomou uma proporção nacional. Tudo foi fruto de muito trabalho e muita dedicação, tudo o que eu produzo até hoje é com o mesmo cuidado que eu fazia na época em que tinha um estúdio bem simples em casa.

E me sinto muito grato à Los Pantchos, empresa que me agencia, por ter visto potencial no que eu faço e por ter me chamado para fazer parte desse time. Ela que deu projeção para o brega funk tocar de norte a sul do país.

TMDQA!: Sua música “Tudo OK” foi um dos grandes hits do Carnaval e continuou em alta durante a quarentena. A que você atribui o sucesso deste lançamento?

JS O Mão de Ouro: Eu acho que, durante o verão, “Tudo OK” tomou proporções gigantescas por conta da novidade. O brega funk estava surgindo no início do ano, as pessoas estavam gostando dessa nova sonoridade e desse novo jeito de dançar. E a letra composta pelo Thiaguinho MT é leve, não tem palavrão e coloca a mulher em posição de destaque, sem machismo.

Agora, na quarentena, vejo que a saudade desse tempo alegre e caloroso do Carnaval é o que faz a música continuar em alta nas plataformas de streaming. Estamos com vontade de sair, de abraçar e se divertir, e “Tudo OK” faz a gente lembrar desses bons momentos.

TMDQA!: O bregafunk é tido como um novo jeito de dançar e rapidamente se espalhou pelo país. Quais são as principais características que o gênero possui e o que o torna tão contagiante?

JS O Mão de Ouro: Bom, como o próprio nome diz, o bregafunk é a junção de um ritmo do Nordeste com outro do Sudeste. Aproveitamos as repetições de lata e os pontos de voz que fazem parte do brega nordestino e colocamos na melodia do funk com o batidão do grave para compor a música. Por isso conseguimos tirar um som tão marcado e perfeito para fazer o passinho. É muito dançante.

TMDQA!: Sobre o futuro, o que os seus fãs podem esperar? Tem produzido ao longo do isolamento social?

JS O Mão de Ouro: Podem esperar que, quando essa vacina chegar, vai ter carnaval fora de época, rs! Eu tenho produzido bastante durante a quarentena. Já tem muita parceria minha com Thiaguinho MT, MC Kátia, Tati Zaqui, MC Jacaré, Aldair Playboy… e podem esperar muito mais. E também vem muita versão diferente com a batida do brega funk.

TMDQA!: Para concluir, deixa um convite para o nosso leitor conhecer seu projeto baseado na obra de Beethoven.

JS O Mão de Ouro: Ouvimos o nome Beethoven e muitas vezes já pensamos que é algo muito distante da nossa realidade, uma música que poucas pessoas entendem e tem acesso. Mas, com certeza, já ouvimos partes das Sinfonias dele em algum filme, série ou comercial e não nos demos conta de que é obra do compositor alemão.

O objetivo de fazer a Quinta e a Nona Sinfonias em brega funk é tornar esse conhecimento mais popular e fazer lembrar que Beethoven é uma cultura a que todos tem acesso, a que todos podem e devem consumir. Estou muito honrado em fazer parte desse trabalho e espero todos para fazer o passinho do Beethoven!