Dolly Parton
Foto: Divulgação
 

Dolly Parton é uma das cantora mais icônicas dos EUA, e não à toa é conhecida como Rainha de Nashville por seu legado gigante na arte que se estende ao cinema, livros e mais.

Nem sempre política, Parton não teve dúvidas quando falou em uma nova entrevista à Billboard (via CoS) sobre o movimento Black Lives Matter, que vem intensificando a sua luta contra o racismo estrutural do país desde o assassinato cruel de George Floyd.

Ela disse:

Eu entendo que as pessoas precisam se fazer conhecidas e sentidas e vistas. E é claro, vidas negras importam. A gente pensa que só as nossas bundinhas brancas que importam? Não!

No mesmo papo, Dolly ainda falou que não tem problemas em lidar com um aprendizado constante sobre essas questões e citou o exemplo de uma atração sua que levava o nome “Dixie Stampede” e que teve o nome mudado para “Dolly Parton’s Stampede”.

Isso aconteceu porque o termo Dixie é usado nos EUA para se referir em geral à região Sul na época dos Confederados, último lugar do país a abolir a escravidão — a banda Dixie Chicks, por exemplo, mudou de nome recentemente para The Chicks justamente por isso.

Dolly Parton

Falando sobre essa mudança, que ocorreu em 2018, Dolly Parton explicou um ponto de vista que serve até mesmo como uma lição para nossas vidas:

Quando eles me disseram que ‘Dixie’ era uma palavra ofensiva eu pensei, ‘Bom, eu não quero ofender ninguém. Isso é um negócio. Vamos apenas chamá-lo de The Stampede’. Assim que você percebe que [algo] é um problema, você deve arrumá-lo. Não seja um imbecil. É assim que está meu coração. Eu nunca sonharia em machucar alguém de propósito.

Vale lembrar ainda que a lenda de 74 anos de idade ainda está bastante ativa no entretenimento, inclusive tendo anunciado um disco novo de Natal com participações de Miley CyrusWillie NelsonMichael BubléJimmy Fallon e mais.

Ainda assim, Dolly também falou na entrevista que já prepara seu testamento e recomendou que todos façam o mesmo: “não quero deixar essa bagunça para outra pessoa”, explicou ela, ressaltando que muitas famílias acabam criando conflitos após o falecimento de alguém que deixa uma boa herança.

   
Compartilhar