Fã de música fazendo ginástica
Foto Stock via Shutterstock

Sem tem uma coisa que ajuda a fazer exercícios físicos, essa coisa é uma boa e animada música. Agora, a ciência está provando o impacto positivo de uma playlist massa na malhação!

Um estudo da Universidade Brunel, em Londres, mostra que as batidas sonoras tornam o consumo de oxigênio mais eficiente e estimulam o trabalho do coração. Esta pesquisa ainda foi baseada em outras 139 de diversas instituições de saúde no mundo, que comprovam que a música “permeia as áreas do cérebro associadas à liberação do neurotransmissor dopamina, ligado à emoção, à euforia e à cognição, e também àquelas ligadas a reflexos físicos” (via Veja).

Ludhmila Hajjar, professora de cardiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e intensivista da Rede D’Or, disse à Veja:

A dopamina aumenta a força da contração do músculo cardíaco, o que favorece a resistência do corpo no rendimento da atividade física.

Estudos sobre este assunto começaram lá em 1911, quando pesquisadores observaram corridas que aconteciam em silêncio e ao som de uma banda militar nas ruas.

O mais interessante é que esse “fenômeno” na malhação é bastante ligado ao ritmo das canções, com o dance pop sendo o principal. Além disso, palavras como “correr”, “se mexer” e “ação”, quando em uma letra, podem ajudar nessa animação. Músicas como “Born To Run”, de Bruce Springsteen e “Run the World”, de Beyoncé, foram usadas nas pesquisas.

Aí sim, hein?

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar