NBA, jogadores se ajoelham pelo Black Lives Matter
Reprodução/Twitter
Assista ao novo clipe de Bruno Chelles, Camila Zasoul e Natalhão!  

A última quinta-feira, 30 de Julho, foi um dia marcante na história da NBA.

A maior liga de basquete do mundo retomou suas atividades em uma bolha dentro do Complexo Disney em Orlando, na Flórida, e colocou em prática um plano minucioso (e por enquanto bem-sucedido) de terminar a temporada 2019-2020 em meio à pandemia.

Para os jogadores, no entanto, havia outra questão que era no mínimo tão importante quanto esta e foi objeto de discussão para que os jogos fossem retomados: os protestos em nome do movimento Black Lives Matter, ou Vidas Negras Importam, que aconteciam e seguem acontecendo nos EUA.

Uma das formas encontradas pelos atletas para manter as manifestações em evidência enquanto realizam seu trabalho foi a substituição de seus nomes nas camisetas por mensagens relacionadas ao movimento. São diversas frases como “Justiça”, “Paz”, “Aliado”, “Vidas Negras Importam”, “Diga os Nomes Deles” e tantas outras estampando as roupas dos jogadores.

Mesmo assim, eles deram uma demonstração ainda mais impactante de apoio durante as duas partidas que marcaram a reestreia da liga.

Retorno da NBA e protestos dedicados a Colin Kaepernick

Tanto no jogo entre New Orleans Pelicans Utah Jazz como no aguardado confronto entre Los Angeles Lakers Los Angeles Clippers, os atletas de ambos os times se uniram e ajoelharam durante a execução do hino nacional dos EUA.

Todos vestiam camisetas com os dizeres Black Lives Matter e deixaram a rivalidade de lado para a ocasião. Após a partida, inclusive, o astro dos Lakers LeBron James falou sobre a decisão (via TMZ) e sobre Colin Kaepernick, atleta de ponta da NFL que criou polêmica ao ajoelhar durante o hino para protestar contra a brutalidade policial e o racismo estrutural na temporada de 2016.

Desde então, Kap não conseguiu mais um emprego na principal liga de futebol americano do mundo e LeBron o agradeceu pelo “sacrifício”, dedicando a manifestação dos atletas de basquete a ele:

Eu espero que tenhamos deixado o Kap orgulhoso.

Eu espero que continuemos deixando o Kap orgulhoso. Todo dia eu espero que eu o deixe orgulhoso com a forma como vivo a minha vida, não apenas na quadra de basquete, mas fora dela. Eu quero sempre me posicionar contra as coisas que eu sinto que são injustas. Eu quero sempre ser educado sobre as coisas e levar a vida assim.

Kap foi alguém que se levantou quando as coisas não estavam confortáveis. Quando as pessoas não entendiam, as pessoas se recusavam a ouvir o que ele estava dizendo. Se você olhar para trás e assistir a qualquer uma de suas entrevistas pós-jogo quando ele falava sobre o porquê de estar ajoelhando, não tinha absolutamente nada a ver com a bandeira. Não tinha absolutamente nada a ver com os soldados, com os homens e mulheres que mantêm a nossa terra livre.

Ele explicou isso, e os ouvidos estavam fechados, as pessoas nunca escutaram, elas se recusavam a escutar, mas eu escutei. Muita gente na comunidade negra escutou, e nós só o agradecemos por ter sacrificado tudo que ele sacrificou por nos colocar em uma posição hoje, mesmo anos depois, em que podemos ter um momento como o que tivemos hoje.

Abaixo, você pode ver alguns Tweets que mostram as ações tomadas pelos atletas, inclusive o astro do Utah Jazz Donovan Mitchell que apareceu com um colete à prova de balas após a partida levando os nomes de vítimas da brutalidade policial nos EUA e os dizeres “Sou o próximo?”.

 
Compartilhar