Casal se beija em show
Foto Stock via Shutterstock
Assista ao novo clipe de Bruno Chelles, Camila Zasoul e Natalhão!  

Qual artista ou gênero musical mais aparece na sua fucklist?

Uma pesquisa divulgada pela Deezer nesta sexta-feira, dia 31, em comemoração ao Dia do Orgasmo, não revelou os campeões de plays na hora H, mas sim o quanto a música é importante e inclusive influente para as relações sexuais.

Feito em parceria com a autora Tracey Cox, colunista inglesa de não ficção especializada em livros sobre namoro, sexo e relacionamentos, o estudo mostrou que 52% dos brasileiros fazem questão de ter algo bom tocando enquanto estão transando.

O número chama atenção porque ultrapassa os 37% que acham mais importantes que música uma taça de vinho ou uma lingerie especial.

Dia do Orgasmo

Os números também mostram que impressionantes 92,3% dos entrevistados acreditam que a música influencia inclusive seu desempenho no ato sexual.

Os questionados responderam que as canções ajudam principalmente quando têm ritmo (60%), melodia (45%) ou batidas por minuto (33%).

Além disso, sabe-se também que a maioria das pessoas responde mais a uma batida quando ela é tocada por instrumentos mais graves. “Fisiologicamente, os corpos das pessoas gostam de sons mais graves e profundos que, se alto o suficiente, também produzem vibrações e tornam o momento mais excitante”, afirmou Cox.

Os dados da Deezer revelam também que 43% da população tem usado justamente a música para criar uma clima romântico com seu amor durante a pandemia. Foram entrevistadas 11 mil pessoas em oito países ao redor do mundo.

Animou?

Se precisar de sugestões, a Deezer criou uma playlist especial chamada “Pra Fazer Amor”.

 
Compartilhar