Lamborghini Evo Huracan
Foto Stock via Shutterstock

Um homem foi preso por usar o auxílio emergencial do governo americano, criado para dar suporte às pessoas durante a pandemia, para comprar um carro estimado em U$318 mil, equivalente a mais de R$1,6 milhão.

Segundo o Washington Post o homem identificado como David T. Hines foi preso na Flórida, Estados Unidos, e será investigado pelos crimes de declarações falsas para uma instituição de empréstimo, fraude bancária e transações financeiras ilegais.

Hines teria pedido o auxílio emergencial do governo dos Estados Unidos em nome de sete pequenas empresas, que se aprovados poderiam lhe fazer receber até U$13 milhões (mais de R$67 milhões).

O sistema, porém, “só” aceitou três de suas solicitações, o que ainda assim não foi nada mal, já que o cidadão recebeu cerca de U$3,9 milhões, mais ou menos R$20,3 milhões.

Homem compra carro com auxílio emergencial

Uma semana depois de ver seu saldo bancário na casa dos milhões, o americano decidiu se presentear com um Lamborghini Huracán EVO na cor azul, com custo de aproximadamente U$318 mil. No Brasil, um automóvel desse não sai por menos de R$1,6 milhão.

Além disso, hoje sabe-se também que David Hines continuou sua fase de bonança se hospedando em vários hotéis de luxo e fazendo mais compras.

Segundo o advogado de defesa do impostor, seu cliente é “inocente e um empresário legítimo que está ansioso para contar sua versão dos fatos”.

Bandas pedem auxílio emergencial

Vale lembrar que o programa utilizado por Hines, o PPP (Paycheck Protection Program) tem sido utilizado por norte-americanos para que eles continuem pagando os salários dos seus funcionários em tempos de pandemia.

Na música, artistas como Kanye West e bandas como Pearl Jam, Green Day, Slipknot, My Chemical Romance e mais também fizeram empréstimos do PPP para pagar as suas equipes técnicas.

Esse dinheiro é obtido como um empréstimo.

Por Felipe Tellis e Tony Aiex

 
Compartilhar