Cazasuja
Foto por
Assista ao novo clipe de Bruno Chelles, Camila Zasoul e Natalhão!  

O Rap e o Trap não são o limite para Cazasuja, artista potiguar que explora até onde consegue ir essa sonoridade ao absorver e processar de seu jeito único as influências que compõem o incrível Dia de Preto, seu novo álbum.

Com apenas 24 anos de idade e oriundo do bairro de Nazaré, na capital Natal, o rapaz cujo nome verdadeiro é Otto se afirma de vez na cena local e nacional com o excelente disco que traz 8 faixas recheadas de discursos poderosos e beats cativantes.

Enquanto canções como “Desce o Beco” colocam qualquer um pra dançar em meio às mensagens de reflexão, o grande destaque do álbum é não ter filtros à expressão de Cazasuja. Em “Babilônia, 2020”, por exemplo, o flow suave e ritmado dá lugar ocasional aos gritos quase guturais de uma voz que simplesmente não tem mais como ficar presa.

Aliás, faz tempo que essa voz é ativa. Otto é ativista social há tempos, e não é de hoje que ele atua na linha de frente de ações diretas contra o sistema graças à sua indignação, que pouco a pouco foi se transformando em movimento social e, claro, em música, até culminar com a narração de seu Dia de Preto.

Você pode ouvir o álbum logo abaixo, um lançamento e aposta do Festival Dosol, com produção e mixagem de Gabriel Souto e trazendo beatmakers como Walter Nazário, Kali VZL Swami para completar a equipe que ainda conta com participações de Auta Rasec. Ouça a seguir ou pelo Spotify!

Cazasuja – Dia de Preto

 
Compartilhar