Tiroteio em live de pagode
Foto: Reprodução/Época

Um vídeo gravado na festa ao lado da casa onde acontecia uma live de pagode interrompida por um tiroteio no último fim de semana foi divulgado na tarde desta segunda-feira, dia 27, pela revista Época.

Com vários homens armados, o registro mostra ainda a dona da festa, uma estudante de direito, dançando com um deles.

Segundo noticiado, a festa ocorria no bairro da Ribeira, em Angra dos Reis, desde a manhã do sábado (25) e reunia cerca de 70 pessoas, entre eles milicianos. A invasão da polícia foi no domingo a tarde. A ação tinha o objetivo de capturar e prender foragidos acusados de assassinato.

Em depoimento, a jovem afirmou que mudou-se para a casa em questão há duas semanas, vinda de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio. Foram encontrados na festa frascos de lança-perfume.

Nas redes sociais, ela ainda postou fotos ironizando o trabalho da polícia: “por essa nem o águia esperava”, recebendo comentários de usuários comparando o ocorrido à série Narcos, da Netflix.

O delegado Moyses Santana, titular da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, afirmou que todos os presentes foram multados por descumprir a medida preventiva que pede que pessoas não se aglomerem por causa da pandemia.

Além disso, vários dos convidados tinham antecedentes por tráfico ou associação, roubos e outros crimes. Segundo o EXTRA, três policiais militares foram identificados no local e serão ouvidos pela corregedoria da polícia.

Invasão em live de pagode

As imagens da live do grupo de pagode Aglomeração viralizaram nas redes sociais após mostrarem os integrantes tocando quando, de repente, a casa em que estão é invadida pela polícia e pode-se ouvir os sons de helicópteros

Como te contamos aqui, o vocalista do grupo, João Victor Costa, explicou que a polícia invadiu o local de onde a live estava sendo transmitida por engano.

De acordo com os oficiais da lei, a invasão aconteceu para orientar que os presentes se abaixassem e se protegessem de balas. Criminosos que estariam sendo procurados pela polícia conseguiram fugir, inclusive, correndo para um mangue após trocar tiros com a polícia.

 
Compartilhar