Taylor Swift no Brasil em 2009
Foto de Taylor Swift via Shutterstock

Os fãs de Taylor Swift estão full pistola com a avaliação que o mais novo álbum da cantora, folklore, recebeu da Pitchfork, uma das publicações sobre música mais importantes dos Estados Unidos.

A resenha sobre o novo trabalho da cantora foi divulgada nesta segunda-feira (27) e dá nota 8 ao disco, que contou com as parcerias de Aaron Dessner (The National), Bon Iver e Jack Antonoff. Só para contextualizar, um “8” costuma ser celebrado pela imensa maioria dos artistas, já que o site costuma ser bastante rígido, mesmo com álbuns aclamados pela crítica.

O texto diz que folklore será conhecido como o álbum indie de Taylor Swift e o compara a outras obras da própria cantora.

folklore não é totalmente estranho na história de Taylor, nem mesmo em seus trabalhos recentes. As faixas com Antonoff se afastam do electro-pop dos anos 80, que apareceram do 1989 em diante, mas se inclinam para o ‘desmaio’ do Mazzy Star da faixa-título de Lover, o fascínio contínuo de Swift por Imogen Heap e uma pitada de Cranberries.

Aliás, não foi só com esses nomes que Taylor foi comparada na Pitchfork.

Eles acharam semelhanças no disco ainda com os trabalhos de Lana Del Rey, Florence Welch e Sufjan Stevens, como você pode ler por aqui.

Novo Disco da Taylor Swift

No Twitter, muitos fãs demonstraram insatisfação com a nota 8 que o folklore recebeu e, claro, fizeram uma série de postagens reclamando sobre a avaliação.

Teve fã dizendo que o disco merecia 10 ou pelo menos 9,5. Teve usuário comparando a nota do folklore às dos primeiros discos da cantora, e até com álbuns de outros artistas como Ariana Grande, Charli XCX e mais.

Também pode-se ver nos comentários do tweet que divulga a resenha do álbum, no perfil da publicação, vários posts com imagens macabras de Taylor e com textos em amárico dizendo que “qualquer um que for atrás das rainhas das trevas morrerá sozinho e queimará para sempre”.

Além disso, um print circula pela Internet com um tweet de Jill Mapes, autora da resenha (que tem a conta de Twitter fechada), dizendo o seguinte:

Eu fiz uma resenha positiva de folklore e adivinha só? Estou recebendo ligações telefônicas desde 1 da madrugada. A cultura do ‘stan’ é assustadora.

Junto com o print ainda aparece a mensagem de outro usuário que diz:

Eu tenho as suas informações @jumonsmapes e nem se dê ao trabalho de chamar a polícia porque eu vou aparecer na sua casa de forma inesperada não brinque com a gente

Pra variar, depois que foi exposto, o perfil publicou mensagens dizendo “que estava brincando”.

“Stan” é uma mistura das palavras “stalker” (algo como “perseguidor”) e “fã”, usada para denominar pessoas que passam do ponto quando o assunto é celebrar seus ídolos e, ao invés de se concentrarem nos trabalhos que eles lançam, fazem tudo e qualquer coisa para colocá-los em posição de destaque, levá-los às paradas e mais.

Veja tudo abaixo, incluindo um post que diz que a Pitchfork é um veículo que “costumava ditar tendências” mas está “ultrapassado” e “tem medo de fazer declarações fortes sobre artistas pop”, além de notar que as notas de discos de artistas como Rina Sawayama e Charli XCX ficam todos na mesma “faixa” do lançamento de Taylor.

Por Felipe Tellis e Tony Aiex

Ameaça resenha Taylor Swift

 

 
Compartilhar