Chester Bennington, mini-documentário do Grey Daze
Reprodução/YouTube

Há exatos 3 anos, o mundo se despedia de forma extremamente precoce do incrível Chester Bennington.

O vocalista, que ganhou fama graças às músicas do Linkin Park, não resistiu após uma longa batalha com a depressão e faleceu em 20 de Julho de 2017 deixando para trás um dos legados mais incríveis da música e certamente o mais importante do Rock e Metal na era moderna.

Desde que a sua banda estreou com Hybrid Theory estava claro que o som dos caras seria a trilha sonora de uma geração.

Linkin Park

A mistura incrível entre a música pesada, o Rap e belas melodias foi o que levou “In the End” a ser um dos primeiros grandes hits do novo milênio e a canção prova que o grupo é atemporal, afinal já são mais de 1 bilhão de visualizações no clipe desde que ele chegou ao YouTube.

O mesmo pode ser dito para outras faixas como “One Step Closer” e “Crawling”, que mostravam outros lados da banda e do próprio vocalista. Dali pra frente, tudo foi se expandindo: a experimentação, a qualidade e, claro, o sucesso.

Chester Bennington

Tudo isso só foi possível graças à impressionante voz de Chester — que, aliás, nós elegemos por aqui como a melhor dentro de toda a cena de música pesada.

Voltando a falar de “In the End”, a canção serve como um ótimo exemplo de como Bennington conseguia moldar a sua voz às suas emoções. Mas talvez isso esteja ainda mais presente quando Meteora chegou ao mundo em 2003 e mostrou novas capacidades do cara, notavelmente em “Faint”.

Continua após o vídeo

O contraste entre seu timbre melódico e seus gritos absolutamente devastadores virou marca registrada e sempre marcava presença nos álbuns do Linkin Park ainda que ele também tenha mostrado em canções como “Numb” e “What I’ve Done” como era capaz de ter uma abordagem mais próxima do Pop e criado verdadeiros hits que transcenderam a cena do Rock e Metal.

Três anos depois de sua morte, o mundo ainda sente muito a falta de Chester Bennington. Não há — e provavelmente nunca haverá — uma voz tão marcante e tão capaz de fazer uma ponte entre o mundo “pop” do mainstream e o “submundo” do Rock e Metal.

Felizmente, o legado de Chester segue muito vivo e, além de toda a discografia do Linkin Park, você pode conferir abaixo o disco lançado em 2020 pelo Grey Daze. Trata-se da primeira banda do vocalista, que usou gravações deixadas por ele em vida para montar Amends.

Nós também conversamos recentemente com Sean Dowdell, baterista do grupo e melhor amigo do cantor em vida, e ele nos contou diversas histórias incríveis. Confira aqui!

 
Compartilhar