Pessoa usa máscara no cinema
Foto Stock via Shutterstock
   

A China, primeiro foco mundial da pandemia do novo Coronavírus, recebeu sinal verde dos órgãos reguladores locais para reabrir alguns de seus cinemas — aqueles localizados em regiões de baixo risco, como informa a Variety.

De acordo com a Administração de Cinema da China (CFA), o funcionamento terá início no próximo dia 20 de Julho. Um comunicado oficial afirma que as regiões de médio e alto risco continuam temporariamente fechadas, e que qualquer mudança no grau de risco das regiões que tiverem a reabertura deve implicar em novo fechamento.

É claro, no entanto, que esse processo será feito com uma série de medidas de segurança que também foram informadas pela publicação inicial.

Reabertura dos cinemas na China

Quanto à ocupação das salas, só será permitido utilizar 30% da capacidade de cada uma e deverá haver uma redução dos horários de programação pela metade do que seria em um período normal.

Há também uma limitação para a duração dos filmes — cada sessão poderá ter no máximo 2 horas, mas não fica claro se isso implica em um intervalo para filmes mais longos que isso.

Além disso, não haverá disponibilidade de venda de bebidas e comidas, inclusive com proibição de levar suas próprias comidas e bebidas. A reportagem lembra que isso acontece apesar de restaurantes e bares estarem abertos sem restrições no país asiático.

Em relação aos ingressos, todas as compras deverão ser virtuais e registradas com o nome de cada cliente. A higienização também será fortemente reforçada, com as áreas comuns sendo limpas e desinfetadas ao menos duas vezes ao dia e os espaços de uso mais constante (como assentos e óculos 3D) sendo totalmente higienizados após cada utilização.

O uso de máscaras será obrigatório tanto para clientes como para a equipe dos cinemas e qualquer funcionário que venha de uma região de médio ou alto risco terá de fazer uma quarentena antes de voltar ao trabalho.

Tudo isso, claro, deverá ser reportado constantemente à CFA que promete fiscalizar com frequência os locais que voltarem a funcionar.

E aí, o que você acha? Iria no cinema com essas condições?

 
 
Compartilhar