Terrakota, banda de Portugal
Ouça playlist com clássicos do Rock!  

Por Paulo Bettencourt

Olá, sou o Paulo de Portugal. Aceitando o convite e do Tony Aiex, criador do Tenho Mais Discos Que Amigos!, venho deste modo apresentar-vos os “10 artistas incríveis de Portugal que você ainda não conhece”.

Vivi no Brasil durante 2 anos (interior de São Paulo e em Porto Alegre) e muitas foram as pessoas que me confessaram conhecer poucos artistas de Portugal. Assim sendo, foi com uma grande alegria e satisfação que aceitei o desafio do Tony em listar 10 artistas de renome portugueses.

Concentrei-me assim em não citar meramente os actos musicais mais conhecidos do país mas sim concentrar-me nas maravilhosas “pérolas escondidas” portuguesas. Espero que gostem desta lista e espero o vosso feedback! Terão no fim deste artigo uma agradável surpresa! Até já!

Nota do TMDQA!: aproveite e siga a nossa playlist onde adicionamos canções desses nomes e, semanalmente, atualizamos a seleção com clássicos e novidades!

Dead Combo

A música dos Dead Combo transporta-nos para um tempo que já não existe. O duo lisboeta cria uma fusão entre os gêneros de rock, fado e western. A música ambiente que prevalece bebe inspiração do blues rock e da tradição do folk popular. Embora os Dead Combo sejam portugueses, existe uma influência bem vincada da música sul-americana e africana.

Este tema em particular, “Cuba 1970”, é simplesmente das músicas mais marcantes e emocionantes dos Dead Combo.

Filho da Mãe

Filho da Mãe é o alter ego de Rui Carvalho. Embora este guitarrista tenha as suas raízes na escola do punk e do hardcore, este seu projeto a solo encontra uma direção musical completamente diferente. O Filho da Mãe encontrou finalmente paz e, por causa disso, lança-se numa jornada a sós.

O homem e a sua guitarra. Percorrem diferentes mundos musicais, tendo como base apenas a acústica que lhe acompanha. “Não sei desenhar barcos” é das músicas portuguesas mais memoráveis dos últimos anos.

Blasted Mechanism

A batalha das tribos. O buscar das nossas origens. As raízes do nosso ser. Todas estes sentimentos que perpetuam e combatem a nossa paz interior são objeto de investigação musical por parte dos Blasted Mechanism. O grupo português é conhecido pela sua forte componente estética e pela sua dançável world music. A sua música funde elementos da música popular com um conjuntos de metais de sopro, tendo o eletrônico como música de fundo que nos transporte para outra dimensão.

Sloppy Joe

Embora os Sloppy Joe sejam das bandas de ska e reggae mais talentosas de Portugal, nunca conseguiram o devido reconhecimento por parte da audiência e jornalismo especializado. Acabaram assim por ser remetidos para os subúrbios da vida musical e, eventualmente, esquecidos pelo público português. A boa notícia é que este desconhecimento é inversamente proporcional à unicidade da sua música. Os Sloppy Joe trouxeram uma lufada de ar fresco ao panorama musical, sendo que a vocalista do grupo possui um timbre único que canta e encanta neste mundo de paz e amor que é o ska.

 

Terrakota

Pura world music portuguesa, com influências diretas do continente africano. Os Terrakota proclamam a paz e a sua música é a arma com que combatem a opressão sistemática da política e, principalmente, das mensagens de intolerância e opressão. São dos grupos mais originais de Portugal e a sua qualidade musical encontra-se no mesmo patamar dos grupos internacionais do gênero.

Buraka Som Sistema

Os Buraka Som Sistema são um grupo de música eletrônica de dança que encontra as suas bases nos géneros musicais africanos Zouk e Kuduro. Tocaram por uma década e, ironicamente, foram mais reconhecidos a nível internacional que nacional. A sua música ganhou vários importantes prêmios artísticos tais como o MTV European Music Award e, para além disso, os seus temas também fizeram parte da banda sonora de importantes videojogos tais como o FIFA 2010. Tocaram um pouco por todo o ano, tendo cessado a sua atividade em 2016. Esta é música que nos leva às raízes do nosso ser e da Mãe África.

 

Capitão Fausto

Os Capitão Fausto são das bandas de rock/pop rock mais interessantes do cultural português dos últimos anos. A sua música é em tudo diferente do que já foi previamente feito em Portugal. Alguns dizem que são os Beatles portugueses. É uma muito honrosa e merecida comparação.

Na verdade, poderia estabelecer alguns paralelos com algumas bandas de rock brasileiras e, não é à toa que este single “Boa Memória” tenha sido gravado nos Red Bull Studios São Paulo.

The Legendary Tiger Man

Blues obscuro, misterioso e sensual. O The Legendary Tiger Man é o alter ego de Paulo Furtado, um rocker da cidade de Coimbra. O artista encontra a sua persona nesta one-man-band, criando assim um ambiente que nos remete diretamente ao mundo do Delta Blues. “Fuck Christmas, I got the blues” é uma verdadeira canção anti-natalícia, onde nada importa sem ser o blues. E isso não é a mais pura das verdades, no final de contas?

Linda Martini

Os Linda Martini são uns verdadeiros poetas musicais. A sua música resume-se aos sentimentos mais puros do nosso ser, onde a dor encontra o amor. Porque, no final de contas, não sofremos todos com a afeição profunda que sentimos pelos demais? O rock pesado dos Linda Martini encontra um contraste com as suas letras mais vulneráveis e sentimentais. E assim canta esta banda de post-hardcore / post-rock: “Se o nosso amor é um combate / Então que ganhe a melhor parte”.

Nunca o amor foi tão bem resumido numa canção de rock portuguesa.

Portugarte

E o prometido é devido! Aqui está a nossa surpresa!

Por último, apresentamos-te o Portugarte! Um lugar onde será possível conhecer o melhor da arte portuguesa, e não só! Somos uma plataforma cultural que tem como principal finalidade divulgar a arte criada por vários países de língua portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe).

Estamos ainda a começar! Por enquanto, o responsável pelo estaminé sou eu! Apresento me novamente, sou o Paulo! Muito prazer!

Caso queiras colaborar de alguma forma com o Portugarte, escreve-me! Sugestões, colaborações e cartas de amor são sempre bem vindas!

Esperamos a tua visita no nosso humilde lar artístico, até já!