Tom Hanks em 2017
Foto de Tom Hanks via Shutterstock
 

Um dos primeiros famosos a se infectar com a COVID-19, em março deste ano, o ator Tom Hanks falou sobre como a hidroxocloroquina provocou efeitos colaterais extremos em sua esposa, que também ficou doente, e ainda mandou um recado para quem não quer usas máscaras: “não seja um idiota!”.

O astro de Hollywood revelou (via CoS) que como ele e sua esposa, Rita Wilson, foram vítimas do novo coronavírus ainda no início da pandemia, quando não se sabia muito sobre a doença, eles passaram por alguns momentos tensos.

Um deles envolve a hidroxocloroquina, medicamento defendido para a cura da COVID pelos presidentes do Brasil e dos Estados Unidos, Jair Bolsonaro e Donald Trump, porém que causou “efeitos colaterais extremos” em Wilson.

Hoje, depois de vários estudos e pesquisas, sabe-se que a medicação não mostrou benefícios no tratamento de combate ao vírus e, inclusive, pode causar danos ao coração, rins e fígado dos pacientes.

Tom Hanks

O ator também descreveu seus dias infectados como “muito desconfortáveis” devido aos sintomas, mas tranquilizou os fãs dizendo que em momento algum correu risco de morte.

E com a experiência de quem enfrentou e superou o problema, desabafou:

Há realmente apenas três coisas que podemos fazer para chegar ao amanhã. Use máscara, mantenha o distanciamento social e lave as mãos. São coisas tão simples e tão fáceis, que se alguém não consegue praticar o básico, é realmente uma vergonha. Não seja idiota e faça sua parte.

Hanks ainda comparou a situação com dirigir um veículo: “se você estiver dirigindo, não vá rápido demais, usa a seta e evite bater nos pedestres. Meu Senhor, é um senso comum”, finalizou ele, que afirmou que continua isolado em sua casa.

Vale lembrar que o sangue dele e de sua esposa estão sendo usados no desenvolvimento de uma vacina para a COVID-19.

No próximo dia 12 estreia na Apple TV Greyhound, produção que Tom Hanks produziu dirigiu e estrelou. Assista ao trailer logo abaixo:

 
Compartilhar