Alaina Castillo
Divulgação

Quando Alaina Castillo começou a fazer suas covers no YouTube, ela talvez nem tivesse ideia da dimensão que seu projeto tomaria.

A cantora chamou atenção por uma abordagem diferente em suas performances: ao invés de soltar a voz, ela passou a cantar de forma quase silenciosa, bem semelhante ao método conhecido como ASMR. E, assim, suas longas apresentações que vão de Elvis Presley a Billie Eilish acabaram virando trilha sonora para embalar o sono de muitos.

Mas se engana quem pensa que o limite de Alaina era esse. Eventualmente, ela fez a transição para o estúdio e lançou nas últimas semanas o EP the voicenotes, já o segundo de sua curta carreira que começou em 2019 com antisocial butterfly.

Em entrevista exclusiva ao TMDQA!, Alaina nos contou mais sobre todo esse processo e sobre o que podemos esperar daqui pra frente. Aliás, um dos detalhes mais legais da garota é a sua paixão por outras línguas — justamente por isso, o trabalho mais recente já ganhou versão em espanhol, chamado de mensajes de voz.

Conheça mais logo abaixo!

Entrevista com Alaina Castillo

TMDQA!: Oi, Alaina! Como estão as coisas? Espero que esteja tudo bem! Eu quero começar perguntando sobre “just a boy”, primeiro single do the voicenotes. A música passou muito rapidamente os números já impressionantes de “i don’t think i love you anymore”, seu primeiro grande sucesso. Ao mesmo tempo, é uma canção mais íntima, mais acústica, assim como o restante do novo EP. Como foi o processo de decidir ir nessa direção ao invés da pegada mais eletrônica do primeiro? Você curtiu o resultado?

Alaina Castillo: O EP the voicenotes é muito mais vulnerável do que qualquer outra coisa que eu já criei até agora e isso é porque através do processo de escrever o antisocial butterfly e outras músicas, eu passei a ficar mais confortável em expressar meus sentimentos dessa forma, o que abriu caminho para o the voicenotes. Esse EP inteiro fala sobre as merdas que eu passo e as coisas que eu penso então escrever sobre isso e cantá-lo realmente me ajudou a me curar dessas coisas e encontrar resoluções para os problemas!

Eu fiquei feliz com o resultado porque ele também acabou virando algo que as outras pessoas podem ouvir quando elas estiverem passando por problemas semelhantes e é esse o objetivo da minha música.

TMDQA!: Ainda sobre o the voicenotes, você acabou lançando todas as músicas em espanhol depois de cerca de um mês. Antes, você só misturou as línguas no mesmo EP; por que você resolveu fazer as versões separadas agora?

Alaina: É difícil fazer traduções exatas enquanto eu mantenho o mesmo significado mas cada música que foi traduzida para o espanhol acabou saindo com uma nova beleza que transformou a mensagem em uma nova história de tentar explicar o mesmo problema. Eu sabia que queria compartilhá-las em inglês e espanhol porque é uma grande parte de quem eu sou e eu queria mostrar isso através da minha música para que outras pessoas que não pudessem entender o inglês e que pudessem entender as versões espanholas.

Transição do YouTube para o estúdio

TMDQA!: Muita coisa mudou pra você nos últimos tempos, especialmente em relação à forma com que você canta, eu diria. Afinal, no YouTube, era praticamente um ASMR! Foi difícil fazer essa transição? Você conseguiu aplicar algum conhecimento ou técnica do canto em ASMR nos EPs?

Alaina: Eu comecei a fazer os vídeos de ASMR no meu canal porque eu queria misturar aquele conceito com os meus próprios vídeos de covers, então eu só chamei de ASMR e cantei de forma quieta sem qualquer música por trás. Quando as pessoas começaram a mostrar interesse e a dizer o quanto as ajudava, eu fiquei feliz e continuei fazendo esses vídeos mas também fiquei fazendo covers normais porque eu não me considerava uma artista de ASMR na verdade. Fazer a transição do ASMR para o estúdio foi super fácil, porque não é como eu realmente canto! Às vezes eu canto mais quieta, às vezes eu canto mais alto, mas tudo depende de como eu estou me sentindo ou do objetivo que eu quero alcançar cantando.

TMDQA!: Você era uma verdadeira estrela no YouTube, mas resolveu investir seu tempo em se tornar cantora. Você ficou com medo de deixar essa parte pra trás ou só seguiu seu coração?

Alaina: Eu sempre pensei que se eu continuasse seguindo em frente, algum dia eu teria uma oportunidade de avançar com meus sonhos e agarrá-los. Então quando o RØMANS [produtor] e o Marc [Fineman] me procuraram, eu estava completamente pronta para começar a trabalhar nas minhas próprias músicas para descobrir quem eu sou como artista. Eu estava tão empolgada para começar algo novo porque isso é tudo que eu sempre quis, então definitivamente foi um momento de entrega.

Parceria com o Spotify, Brasil e futuro

TMDQA!: Nós precisamos falar sobre o projeto RADAR, do Spotify, que já te rendeu um documentário. Achei muito legal que você foi a escolhida para ser a representante dos EUA! Como tem sido trabalhar com eles e você tem algum novo projeto com eles engatado?

Alaina: Trabalhar com eles tem sido insano porque eles abrir tantas novas oportunidades para mim e para a minha música. Eu ainda não consigo acreditar em tudo que aconteceu desde que eles me contaram pela primeira vez no estúdio (um documentário, um outdoor em Nova York, e apoio contínuo da parte deles) mas eu só estou empolgada para ver o que faremos na nova fase da minha música.

TMDQA!: Queria te perguntar também sobre a bela versão de “bésame mucho” que você fez para o Spotify Singles. Eu amei! O que te fez escolher essa música? Ela tem algum significado especial pra você?

Alaina: Obrigada! Eu sempre tive muita admiração pelo Andrea Bocelli e ele fez uma versão de “bésame mucho” que eu realmente amei, então quando estávamos tentando pensar de músicas diferentes para que eu cantasse, essa foi uma que eu sabia que seria legal e realmente quis tentar recriar do meu jeito. Toda essa experiência foi incrível porque nós gravamos tudo em um dia em Nova York e o estúdio que eu trabalhei era tão bonito! Eu mal posso esperar para fazer isso de novo.

TMDQA!: Eu ouvi que você já está trabalhando no seu primeiro álbum completo e fiquei pensando se você já pode compartilhar algo conosco. Ele terá algumas das canções dos EPs ou tudo será completamente novo?

Alaina: Tudo será totalmente novo! O RØMANS e eu temos estado no estúdio trabalhando em novas músicas e eu mal posso esperar até que possamos começar a lançar novas músicas. É tão diferente de tudo que eu já fiz e eu só quero começar a compartilhar tudo isso com meus fãs.

TMDQA!: Bom, pra fechar! Você obviamente tem muitas influências latinas juntamente às referências Pop, mas você curte ou conhece alguma música brasileira? E, aliás, como estão os planos de vir pra cá quando essa pandemia acabar?

Alaina: Eu ouvi alguns artistas brasileiros porque eu ficava passeando pelos Top 50 de diferentes países pelo mundo [no Spotify] e ouvindo as músicas. O Brasil estava entre eles! Eu mal posso esperar até poder finalmente ir e encontrar todos os meus fãs por aí! ♥︎

 
Compartilhar