Berilo
Foto: Hugo Matos
 

Berilo é um mineral brilhante e ao mesmo tempo raro, com algumas de suas variedades sendo consideradas pedras preciosas ou semi-preciosas. Por sinal, a famigerada esmeralda nada mais é do que um berilo verde.

O mineral também dá nome a uma banda de Uberlândia (MG) formada por Isabella Pimenta (vocais), Paulo Machado (guitarra) e Cláudio Rocha (bateria), a Berilo lançou recentemente o seu EP de estreia, intitulado Inner Space.

Pois o EP nos leva diretamente ao espaço. E não dizemos isso apenas porque a faixa de abertura nos oferece literalmente um “Ticket to Space“. Trata-se de uma sonoridade profunda que intriga o ouvinte, tendo como base elementos do pop punk e do stoner rock.

Enquanto isso, em termos líricos, o lançamento propõe uma discussão sobre mudanças. Mas não é uma narrativa fictícia, já que o trio realmente tomou a decisão de viver somente em função da música. Do espaço, Inner Space tem uma visão abrangente sobre tudo aquilo que nos torna torna menos humanos.

 

Participação de Rappin’ Hood

O EP de estreia é uma viagem de sentimentos e referências. É um rock empolgante não apenas em termos estéticos, mas também líricos. E isso se desenvolve muito bem ao longo das cinco faixas, todas cantadas em inglês através da bela voz de Isabella Pimenta.

Uma delas, por sinal, surpreende o ouvinte ao contar com versos em português. A poderosa “Silence” tem participação de Rappin’ Hood, que agrega bastante à mensagem da música. Além de nos lembrar que se trata de músicas escritas por brasileiros, a perspectiva do rap dá uma nova perspectiva à música, que apenas soma com o que está sendo dito.

Sobre o disco e sua intenção, a banda ressalta:

Uma pausa para reflexão sobre assuntos como empatia, compaixão, solidariedade, amor ao próximo e a si mesmo é extremamente necessária perante tudo aquilo que tem se passado diante dos nossos olhos. Questionar, ponderar decisões e, sobretudo, ações e reações para com o outro é um desafio que nos faz crescer como indivíduo e que reflete positivamente naquilo que mais importa: o coletivo. Na maioria das vezes, a transformação que tanto buscamos deve começar em nós. Dentro do nosso próprio universo.

Ouça abaixo o EP na íntegra:

 
 
Compartilhar