Bring Me the Horizon em
Reprodução/YouTube
 

Depois de ter adiado o lançamento de sua nova canção, o Bring Me the Horizon finalmente divulgou hoje a inédita “Parasite Eve”.

Com título baseado em um clássico game lançado para PlayStation 1 em 1998, a faixa ganhou ainda mais relevância após a pandemia. Inicialmente, ela foi composta pensando em um inseto japonês que ganhou resistência a temperaturas extremas e fez o vocalista lembrar do jogo, que tem uma premissa parecida.

Em entrevista exclusiva à NME, o vocalista Oli Sykes explicou:

Foi muito estranho. Nós ouvimos sobre a pandemia na China, mas aí as similaridades entre o que estávamos escrevendo sobre começaram a ficar mais próximas da realidade. Toda hora que havia uma notícia sobre isso, nós olhávamos um pro outro e falávamos ‘Parasite Eve’, sem perceber a magnitude de tudo isso.

Na mesma conversa, Oli revelou que a banda cansou de fazer “escapismo” com suas músicas e que o mundo “precisa de mudanças”, antes de cravar que “é sobre isso que é o Rock — falar sobre o lado ruim e processá-lo”.

Ele finalizou:

Esse é um momento que todos nós sabíamos que chegaria eventualmente, mas talvez não durante nossas vidas. Olhe para os protestos do Black Lives Matter também. Sentíamos que estávamos progredindo e as pessoas estavam se levantando contra injustiças, mas talvez nós fomos muito complacentes porque ainda está acontecendo. É hora de ficar puto. Não é hora de dizer, ‘Esses dias vão passar’ e ‘vai ficar tudo bem’, porque não vai ficar tudo bem porra nenhuma se não fizemos algo sobre isso.

Musicalmente, a nova faixa lembra e muito “Ludens”, lançada no ano passado e também relacionada a um game. Ela foi composta para a trilha sonora de Death Stranding e recebeu muitos elogios, fazendo com que a banda repetisse em parte a fórmula na inédita mas sem deixar de expandir sua sonoridade ainda mais.

Você pode ouvir “Parasite Eve” e assistir o psicodélico e quase-perturbador clipe logo abaixo!

Bring Me the Horizon, “Parasite Eve” e quatro discos em um ano

Além de explicar a nova música, Sykes também falou à NME sobre os projetos futuros do BMTH, que incluem o lançamento de quatro discos durante este ano:

Essa música fará parte de um disco que terá o mesmo sentimento que ‘Ludens’. Nós estamos improvisando tudo e gravando da quarentena, e agora nós vamos fazer quatro discos diferentes pelo próximo ano e todos irão dividir o nome ‘Post Human’. Todos serão diferentes em questão de tonalidade com seus próprios sons e humores. Isso é algo que nós nunca fizemos, na verdade. Quase sempre houve um tema que englobasse tudo nos nossos discos, mas a música sempre pareceu uma colagem. Isso é legal e eu curto, mas às vezes você quer uma trilha sonora para uma certa ocasião e emoção.

O vocalista finaliza dizendo que a ideia por trás de Post Human é “olhar para como estamos saindo do caminho da evolução e da cadeia alimentar”. Ele conclui que, se fizermos isso, poderemos “assumir a responsabilidade pelo que fizemos com o planeta e nos tornar algo melhor do que os humanos são agora”.

Estamos ansiosos!