Tagore
foto: Bruna Valença
 

O cantor pernambucano Tagore lançou no YouTube o lyric video para a música “Drama”, feita em parceria com a banda goiana Boogarins. A canção é uma prévia do novo álbum do artista e o vídeo foi dirigido por Juliana Ladeira a partir das ilustrações criadas pelo próprio Tagore.

“Fizemos da animação do lyric uma extensão do universo futurista criado para a capa do single, no qual o viajante cósmico desliza sobre o tempo em sua bolha etérea,” afirma o cantor.

A faixa foi gravada no estúdio Space Blues por Tagore (voz, violão e guitarra), João Cavalcanti (baixo e synth) e Pupillo (bateria e percussão). O próximo disco do músico, ainda sem título divulgado, deve ser lançado no segundo semestre.

Twin Pumpkin

Twin Pumpkin
foto: divulgação

A Twin Pumpkin liberou nas plataformas de streaming o clipe para a faixa “Black Frog”, feito em parceria com Mary More. O vídeo foi realizado inteiramente de forma caseira por conta da pandemia da Covid-19 e os vocais de Mary foram captados pelo celular, assim como a montagem do material.

“A música conta sobre um futuro distópico de tribos que vivem em guerra. Uma delas cultua o sol e vive no deserto, a outra cultua a tecnologia como uma divindade construída para punir aqueles que não seguem os seus ideais. ‘Black Frog’ traz um sentimento que é situado entre o pop e o eletrônico, com muita energia e pegada futurista, inspirada em games, distopias e uma humanidade que precisa sobreviver e se adaptar ao novo mundo,” explica o músico.

A nova faixa da Twin Pumpkin chega depois do lançamento do single “Sunflower Daydreams”.

Izar

Izar
foto: Ademir Ribeiro

O cantor Izar disponibilizou nas plataformas digitais a canção “Todo Mundo é mais Famoso que Eu”. A letra fala sobre um personagem frustrado com seus resultados nas redes sociais, onde as pessoas buscam visibilidade através de hashtag, likes, comentários e muitas fotos postadas no feed.

A música questiona todo o ambiente das redes: os clichês, as estratégias de comportamento para ser bem-sucedido, a valorização do belo, o escândalo dos coaches e a aparência que suprime a realidade. Claro, tanto o artista em questão quanto o personagem da música estão dentro desse mesmo jogo. O ponto é conversar sobre esses assuntos e compartilhar um sentimento que pode ser o mesmo de milhares de pessoas.

Anteriormente, Izar havia lançado o álbum O Amor, a Escuridão e a Esperança (2018) e o single “Não Solte A Mão De Ninguém” (2019).

Almério

Almério
Foto: Juarez Ventura

O cantor pernambucano Almério lançou nas plataformas de música o clipe feito para a canção “Androginismo”, composta nos anos 1970 pela dupla gaúcha Almondegas, formada pelos irmãos Kleyton e Kledir.

“O fato de eu ter escolhido ‘Androginismo’ vem das minhas vivências e lembranças como um homem gay cisgênero, minha vontade de gritar para o mundo os motivos que me fazem cantar e escrever, grito contra o preconceito arraigado em nossa sociedade, denuncio os vários tipos de violência contra a nossa existência. A sociedade LGBTQI+ precisa cada vez mais de respeito e proteção,” opina o artista, ganhador do Prêmio da Música Brasileira em sua última edição na categoria Cantor Revelação.

Acompanham Almério na regravação, os músicos Philipe Moreira Sales (flautas e pífanos), Eduardo Slap (baixo), Marconiel Rocha (percuteria) e Ana Paula Marinho (percussão). A faixa estará presente no álbum Desempena VIVO, gravado no histórico Teatro de Santa Isabel, em Recife. O disco deve ser lançado pela Biscoito Fino em Julho.

Que coisa é essa, o Amô?

que coisa é essa, o amô
foto: reprodução

O projeto paulista Que coisa é essa, o Amô?, dos cantores, compositores e produtores musicais Paula Hering e Felipe Marino, lançou o EP Lovefi vol. I.

O compacto apresenta duas faixas, sendo a primeira instrumental e a última uma regravação de “Bizarre Love Triangle”, lançada em 1986 pelo New Order. O duo estreou em 2018 com seu álbum homônimo e no ano seguinte lançou o disco/homenagem Brasileirinhas Vol. I.