Linda McCartney e Paul McCartney
Foto: Wikimedia Commons
 

Amor e paixão são sentimentos universais. E muitas das manifestações artísticas que presenciamos na vida foram inspiradas por experiências e relacionamentos românticos: pelo desejo de amar ou pela ferida que permaneceu ao término de um relacionamento. 

No mundo da música, o amor não poderia estar ausente. Por anos e anos, grandes sucessos foram inspirados em relacionamentos, tanto aqueles que perduraram, quanto os que não sobreviveram às intempéries do tempo. Talvez o segredo desses sucessos seja a capacidade de empatia que o amor pode gerar.

Para o dia 12 de Junho, o TMDQA criou uma lista de 12 canções motivadas por relacionamentos amorosos e seus vários desfechos, indo desde o amor que permanece até aquele que se transforma em amizade e a paixão que gera mágoas. 

Aqui você vai encontrar canções criadas a partir de paixões avassaladoras com letras e melodias que marcaram gerações. 

 

Queen – “Love of My Life”

“Love of My Life” (Amor da Minha Vida), composição de Freddie Mercury, foi cantada inúmeras vezes de forma intensa e sentimental nos shows do Queen. Acompanhada pelo violão de 12 cordas de Brian May, a música é uma homenagem para Mary Austin que namorou Freddie por seis anos e chegou a noivar com ele nos anos de 1970. 

A música foi lançada em 1975, mesmo ano em que Freddie revelou ter tido um caso extraconjugal, se descobriu bissexual e o relacionamento como casal terminou. A amizade entre eles permaneceu forte e Mary cuidou de Mercury inclusive durante o período do diagnóstico de AIDS. Além de dedicar a canção para ela, Freddie deixou em testamento sua mansão, os direitos autorais das músicas do Queen e os gatos para Mary. 

 

George Harrison (Beatles) – “Something”

A música fez sucesso com os Beatles e foi escrita pelo compositor e guitarrista George Harrison. Ao regravá-la, o cantor Frank Sinatra inclusive elegeu o som como “a melhor canção de amor de todos os tempos”.

A música foi escrita enquanto a modelo Pattie Boyd e George estavam casados em 1969. O casamento dos dois durou de 1966 até 1977. Após o término do relacionamento, Pattie se envolveu com o amigo de George, Eric Clapton, e casou com Clapton em 1979. 

 

Eric Clapton (Derek & The Dominos) – “Layla”

Eric Clapton já era amigo de George Harrison nos anos 60 e, nesse período, eles gravaram algumas músicas juntos. Na época, Clapton desenvolveu uma paixão platônica por Pattie Boyd que não correspondeu no período. 

Em 1970, Clapton gravou a canção na banda Derek & The Dominos, “Layla”, inspirado em Pattie. A música marca um momento de depressão do artista, e em um trecho ele fala “tentei te dar consolo, quando seu velho homem te decepcionou, como um tolo me apaixonei por você”. Profundo.

 

Liam Gallagher (Oasis) – “Songbird”

Os irmãos Gallagher, do antigo Oasis, são muito conhecidos pela inimizade que cultivam esporadicamente, mas eles também viveram momentos de criar canções leves e românticas e (pasmem) até elogiar um ao outro. 

Liam Gallagher escreveu “Songbird” (Pássaro Cantante) para sua ex-esposa e mãe de Gene Gallagher, a cantora Nicole Appleton. A música foi lançada em 2002 no álbum Heathen Chemistry e o casal se separou em 2014. Noel até arriscou elogiar essa música como “uma de nossas melhores músicas, não importa quem escreveu”, mas depois pegou no pé de Liam por ser uma canção curta

 

Noel Gallagher (Oasis) –  “She is Love”

Noel Gallagher não poderia ficar para trás nas canções de amor do Heathen Chemistry (2002). Ele compôs a canção “She Is Love” (Ela é Amor) inspirado em Sara McDonald, a publicitária e nova namorada de Noel na época. 

Noel canta na música “Tudo que eu sei é que eu estou amando alguém que me ama também”.  Ele afirma ter escrito a música enquanto vivia uma fase feliz do relacionamento e que se inspirou também em um livro de Khalil Gibran chamado “O Profeta”. Noel e Sara terminaram o relacionamento em 2011.

 

Paul McCartney (Beatles) – “Maybe I’m Amazed”

Paul McCartney escreveu essa música para a esposa Linda Eastman após a separação dos Beatles em 1969. Linda era uma fotógrafa da revista Rolling Stone e fotografava grandes nomes da música como Jimi Hendrix e Aretha Franklin

Foi em uma sessão de fotografia que ela conheceu o futuro marido Paul e mudou sua carreira. Após o término dos Beatles, Linda McCartney apoiou Paul na carreira musical e se aventurou com o marido na banda Paul Mccartney & Wings. Em um trecho da música “Maybe I’m Amazed” Paul canta “Talvez eu esteja maravilhado com a maneira que você me ajuda a cantar minha canção”.

Realmente, Paul e Linda eram muito companheiros.

 

Billie Joe Armstrong (Green day) – “Last Night On Earth”

O vocalista do Green Day, Billie Joe Armstrong, certamente é uma pessoa de relacionamentos duradouros, tanto no aspecto musical, quanto na vida amorosa. 

Billie conheceu a esposa Adrienne Nesser em Minneapolis em 1990 num show do Green Day. Eles ficaram próximos depois dela ter demonstrado interesse em comprar o primeiro álbum da banda. Quatro anos depois, eles se casaram. Billie conta já ter escrito algumas músicas para a esposa por se sentir “profundamente conectado a Adrienne e profundamente conectado ao Green Day”. 

“Last Night On Earth” (Última Noite na Terra) foi um dos sucessos que o cantor compôs para a esposa e foi lançado em 2009 no disco 21st Century Breakdown. Billie tocou essa música ao vivo no casamento de Mark Zuckerberg com Priscilla Chan em 2012, a pedidos do noivo. Em entrevista para Billboard em 2009, Billie comentou que é uma música de amor que ele compôs para Adrienne ao piano e depois criou a letra. Billie até se aventurou nos falsetes. O amor não é lindo e desafiador?!

Lenny Kravitz – “It Ain’t Over ‘Til It’s Over”

A música de Lenny Kravitz fala sobre um momento complicado na vida de um casal: a crise do relacionamento. Nessa época Lenny era casado com a atriz Lisa Bonet. Na letra ele confessa “Tantos anos nós tentamos manter nosso amor vivo”.

Lenny compôs a música em um hotel em Los Angeles com as luzes apagadas porque estava vivendo um momento difícil e deprimente. A canção “Não Acabou Até Que Acabe” refletia o desejo do músico de recuperar seu casamento. Mesmo com a canção otimista, o casal se divorciou em 1993. Mas, felizmente, Lenny e Lisa conseguiram manter a amizade!

 

Dido – “Thank You”

A cantora Dido escreveu a música “Thank You” (Obrigada) inspirada no seu namorado e noivo Bob Page. Na música ela se declara para Bob com frases como “Eu quero agradecer a você por me dar o melhor dia da minha vida”. Dido comenta que quando canta essa música, ela lembra do momento em que a escreveu em sua banheira em um apartamento em Londres. 

O noivado terminou amigavelmente e em 2003 a cantora lançou a música “White Flag, uma balada romântica e dramática que fala sobre não querer levantar uma “bandeira branca” por ainda estar apaixonada. 

 

Gilberto Gil – “Drão”

Gilberto Gil escreveu a música “Drão” em 1981 após sua separação da até então esposa, Sandra Gadelha. A música marcou o momento do término com uma mensagem positiva e de gratidão pelo relacionamento que durou dezessete anos. 

Na homenagem, Gil encara a vida e morte do relacionamento como a perspectiva de ressignificar o amor e deixá-lo germinar. Ele musicaliza “O amor da gente é como grão, uma semente de ilusão, tem que morrer pra germinar”. Bonita a analogia, não?

 

Nando Reis – “Back in Vânia”

Nando Reis tem uma lista extensa quando se trata da famosa máxima “a vida imita a arte”. Ele já compôs músicas inspiradas em situações inusitadas da vida, seus filhos, amigos e a esposa Vânia. 

A música “Back in Vânia” é sobre a reconciliação e o amor do casal que ficou separado por 10 anos. O cantor tem, inclusive, um canal do YouTube com vídeos para explicar um pouco das histórias das músicas.

No dia 12 de Junho de 2019, Nando fez um vídeo especial de Dia dos Namorados para falar sobre a pessoa mais importante da vida dele: Vânia.

 

Paralamas do Sucesso (Herbert Vianna) – “De Perto”

Herbert Vianna, vocalista do Paralamas do Sucesso, passou por momentos bem desafiadores em sua vida. A tragédia que tirou a vida da esposa e jornalista britânica Lucy Needham em 2001 deixou marcas em Herbert, mas nunca destruiu seu amor pela companheira. 

Com os três filhos e o apoio dos membros do Paralamas, o cantor se fortaleceu e retomou a carreira artística. O álbum Hoje, de 2008, possui várias músicas com referências à Lucy. Uma delas é a faixa “De Perto” em que o músico confessa “Quero dizer que nosso amor deu certo”.

Em 2012, ele gravou um álbum chamado Victoria, o primeiro nome de Lucy com canções consagradas que ele escreveu para outros músicos, como “Se eu não te amasse tanto assim”. Em 2002, o cantor já havia tocado uma versão em inglês dessa música extremamente sentimental. 

Os trabalhos de Herbert quase sempre homenageiam e relembram a relação de amor incondicional por Lucy. Em uma entrevista para Pedro Bial, ele comenta que o trabalho Sinais do Sim, de 2017, ainda fala sobre sua paixão por Lucy. 

 
 
Compartilhar