Daniel Radcliffe (Harry Potter)
Foto: Wikimedia Commons
   

O ator Daniel Radcliffe, famoso por interpretar o personagem Harry Potter, se manifestou contra às declarações transfóbicas recentes de J. K. Rowling, autora da história que o tornou conhecido no mundo inteiro.

Ao site The Trevor Project, ele afirmou que mulheres transgênero são mulheres sim e que qualquer declaração contrária a essa não estão de acordo com os conselhos dados por associações profissionais de saúde, que são as pessoas que têm o maior conhecimento sobre esse assunto.

O artista apresentou ainda dados que informam que 78% dos transgêneros e jovens não binários já relataram alguma vez terem sido discriminados devido à sua identidade de gênero.

Daniel Radcliffe e J. K. Rowling

Apesar disso, em seu texto, o ator deixa claro que não quer travar uma briga pessoal com a autora “responsável pelo curso que sua vida seguiu”.

Sei que certos meios de comunicação provavelmente vão querer pintar isso como uma briga entre J. K. Rowling e eu, mas não se trata disso. Como alguém que teve a honra de trabalhar e continua contribuindo com o The Trevor Project na última década, sinto-me obrigado a dizer algo a respeito neste momento.

O The Trevor Project é uma organização nos Estados Unidos que presta serviços de intervenção em crises e prevenção de suicídio a jovens lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros, queer e questionadores. Ele foi fundado em 1998 pelos criadores do curta-metragem vencedor do Oscar, Trevor.

Antes de finalizar, Daniel Radcliffe pediu aos fãs da saga Harry Potter que não se sintam decepcionados se acreditaram alguma vez que qualquer personagem dos livros e dos filmes fosse trans, não-binário, fluido de gênero, gay ou bissexual.

Se você encontrou alguma coisa nessas histórias que ressoou em você e o ajudou em qualquer momento da sua vida, isso está entre você e o livro que você lê, e é sagrado. Eu realmente espero que você não perca totalmente o que era valioso nessas histórias para você.

A polêmica envolvendo J. K Rowling aconteceu no último sábado, dia 6, quando ela postou no Twitter uma crítica ao autor de um texto que escreveu sobre termos um mundo melhor pós-pandemia para “pessoas que menstruam”. Na opinião dela, ele deveria ter usado a palavra “mulheres” ao invés de “pessoas”.

O comentário foi considerado transfóbico tendo em vista que homens trans também podem menstruar. Essa não foi a primeira vez que J. K. Rowling fez comentários preconceituosos nas redes sociais. Saiba mais.