Paul McCartney em Curitiba, 2019

O brutal assassinato do americano George Floyd mexeu com o mundo e fez com que diversos artistas se pronunciassem a respeito de uma das mais importantes causas sociais do planeta. Recentemente, o icônico Paul McCartney foi mais um entre os que se posicionaram sobre o racismo.

Através da sua página no Facebook, o músico compartilhou um episódio ocorrido em 1964 enquanto excursionava com os Beatles. Ele conta que, na ocasião, ao perceber a conivência com a segregação social em um show que faria em Jacksonville, nos EUA, a banda decidiu interferir nas “regras”.

Confira a postagem completa:

Enquanto nós seguimos vendo protestos e manifestações ao redor do mundo, eu sei que vários de nós queremos saber o que podemos fazer para ajudar. Nenhum de nós tem todas as respostas e não existe uma maneira rápida de consertar, mas nós precisamos da mudança. Nós precisamos trabalhar juntos para superar o racismo de qualquer forma. Precisamos aprender mais, ouvir mais, falar mais, nos educar e, acima de tudo, agir.

Em 1964, o The Beatles estava para fazer um show em Jacksonville, nos EUA, e descobrimos que seria uma audiência segregada. Isso pareceu errado. Nós dissemos: ‘Nós não faremos isso!’ – e o show que fizemos foi o primeiro para uma audiência não-segregada ali. A gente, então, garantiu que isso estivesse no nosso contrato. Para nós, era como um senso comum.

Eu me sinto enojado e com raiva de estarmos aqui, 60 anos depois, e o mundo estar em choque com as cenas horríveis do assassinato sem sentido de George Floyd nas mãos do racismo policial, junto com os incontáveis outros que vieram antes.

Todos nós aqui apoiamos e ficamos ao lado daqueles que estão protestando e levantando suas vozes neste momento. Eu quero justiça pela família do George Floyd, eu quero justiça por todos aqueles que morreram e sofreram. Não se pronunciar não é uma opção.

Paul McCartney e Instituições Anti-Racismo

Além das palavras, links que divulgam importantes instituições na luta anti-racista foram compartilhados no post do músico.

Para conhecer melhor e saber como ajudar, basta acessar os sites a seguir:

LEIA TAMBÉM: Entrevista: Josh Klinghoffer escala montanha e fala sobre música brasileira, novos projetos e “líderes idiotas”