Djonga no Planeta Brasil
Foto por Nathália Pacheco (@nathaliapacheco_)

O dia de amanhã (07) deverá ficar marcado por novas manifestações em diversos cantos do país.

Quem irá às ruas para protestar contra o racismo é o rapper Djonga, e ele fez questão de falar sobre os motivos em uma publicação que fez nas redes sociais.

Por lá, disse que pensou muito em todas as questões envolvidas, principalmente a pandemia do novo Coronavírus, e inclusive citou o também rapper Emicida, que viralizou ao publicar um vídeo sobre por que não irá aos protestos.

No texto, Djonga disse:

Eu to pensando nisso a semana toda, eu que sempre fui de ir pra rua em todas as hipóteses desde novo, antes do Rap, e até de entender melhor por que aquilo era tão necessário, penso prós e contras disso tudo. Aí vi o vídeo do Emicida e pensei, o papo é da hora, tem legitimidade e faz refletir, não tá saindo da boca de safado, mas…

Movimento de rua que não rola gente infiltrada, contradição e coisas do tipo não existe, principalmente se não há nenhuma organização institucional forte por trás e até quando tem rola, não importa quando.

Infelizmente ou até felizmente (pra mim, felizmente) o povo não é esse bloco homogêneo onde geral pensa igual no quesito ‘método’, ainda que a maioria tá querendo ir pro mesmo caminho… liberdade, oportunidade, paz, dinheiro no bolso e o mínimo de condição igual para viver!

Os líder [sic] a mesma coisa, tem gente grande dos nosso [sic] que acha que ir pela via institucional e dominar por dentro é o caminho, tem gente que acha que bater de frente diretamente por fora é o certo… O racismo não vai acabar segunda-feira, é uma construção de muito mais tempo que vamos ter que fazer juntos ainda que com métodos diferentes… mas tem quem pense que o que tá rolando de movimentação popular instantânea é uma forma de marcar posição mais forte diante de um cenário onde temos ausência de ‘estado’, não no quesito autoridade (porque nesse quesito tem até demais), mas no quesito cuidado e organização com e para o povo, num cenário onde vemos canalhas botando a cara para dizer coisas que nunca imaginávamos que teriam coragem de dizer tão diretamente (sem as entrelinhas que somos obrigados a conviver desde menor), num cenário onde na calada da noite o que arrota justiça e anti corrupção passa ‘a boiada’ e põe o dinheiro na mão dos piores da história no quesito corrupção, e pior ainda, continuam legitimando o que nos mata tornando natural o que deveria ser crime.

Vey, eu to com a cabeça fudida [sic] e o coração na mão, mas apesar disso acho que o debate tá muito mais complexo que isso tudo e a estratégia é algo a se debater…

A frieza é necessária, mas a emoção, no sentido mais genuíno dela, faz parte e é necessária e você sabe disso, da inocência e da coisa orgânica também sai coisa bela e transformadora, basta falar com uma criança pra provar…

As questões nunca saem da cabeça, ninguém quer ser irresponsável mas EU Vou, sempre fui mais fogo que gelo… e quem vai pensa duas vezes num momento como esse antes de tirar o pé pra fora de casa não só por você mas pelo outro.

Muito infelizmente pra nós a cada escolha uma perda e parece que todas terminam com nosso sangue!

 

 

LEIA TAMBÉM: Emicida explica (e reitera) por que não irá às manifestações de rua contra o racismo

 
Compartilhar