Daniel Pandeló
foto: divulgação
 

O escritor carioca Daniel Pandeló Corrêa resolveu ampliar as possibilidades do seu trabalho e lançou nas plataformas digitais, através do selo Sagitta Records, o EP Invocações. O compacto, de quatro faixas, mistura palavra falada e música, em interpretações do próprio autor para poemas inspirados em lugares que marcaram sua vida.

O lançamento inaugura uma série em áudio selecionada por Daniel, que já anunciou o próximo álbum, Voando Reto num Muro de Tijolos, para o início de Julho.

“‘Invocações’ marca uma transição para uma consolidação temática que queria abordar e que já trazia nos meus livros anteriores com muito do meu trabalho com música, que foi algo que me ocupou muito nesses últimos 10 anos. Eu já tinha feito coisas em teatro e interpretado meus textos, além de já ter participado de gravações, mas foi a primeira vez que era para gravar algo meu, comigo em primeiro plano. Depois de muito tempo meio que nos bastidores, sinto que precisei me acostumar a estar na frente do palco, alvo do holofote e das críticas. Acho que por isso que escolhi textos que falam abertamente de coisas tão pessoais,” comenta Daniel, que relançou seus três primeiros livros em formato digital.

Vitreaux

Vitreaux
foto: Everson Sá

Como prévia de seu terceiro trabalho, a banda paulista Vitreaux lançou nas plataformas de streaming a canção “Meia Luz”.  A música, composta há seis anos pelo vocalista Lucas Gonçalves, carrega uma história interessante.

“Naquele momento, o golpe militar do Brasil, de 1964, completava 50 anos, e o
eu tinha acabado de assistir a um documentário sobre o assunto. Os desdobramentos
sombrios da instauração dos governos militares sul-americanos contornam toda a poesia da obra. A sonoridade do single é densa, como uma marcha violenta. Uma guarânia tocada num porão frio, sem luz e sufocante,” comenta o compositor.

Formado em 2013, o grupo lançou seu EP de estreia, Dois por Dois, no ano seguinte. A banda também tem no currículo o álbum Na Espera da Fila (2015).

Zeca Viana

Zeca Viana
foto: Kamila Ataíde

O músico, produtor, professor e pesquisador pernambucano Zeca Viana liberou nas plataformas de música seu quarto álbum solo, TRËMA. O disco apresenta dez faixas com influências do lo-fi, dream pop, krautrock e synth pop, trazendo participações especiais de Carol Pudenzi e Kamila Ataíde nos vocais e Igor Taborg nas flautas.

Zeca estreou com o disco Seres Invisíveis, lançado em 2009, e vem desenvolvendo uma linguagem bastante peculiar através da gravação caseira.

andré L.R. mendes

andré L.R. mendes
foto: divulgação

O cantor andré L.R. mendes lançou o single “dança no sonho”. Desde o início da quarentena imposta pelas autoridades públicas de saúde, o músico disponibiliza uma nova música para seu público, no melhor estilo “faça você mesmo”.

“Eu faço absolutamente tudo, da composição à capa, gravando sozinho em casa usando como ferramenta um violão, uma guitarra e um ipad…até os clipes eu que faço usando o celular,” revela o artista, que anteriormente liberou, em meio à pandemia da Covid-19, as canções “manda notícias” e “desabafo”.

ZéVitor e Konai

ZéVitor
foto: divulgação

Em parceria com Konai, o cantor ZéVitor liberou no YouTube o clipe para a música “Castelo de Areia”. O vídeo, que traz ilustrações de Lucas Paixão, chega junto com uma HQ, que pode ser baixada nas plataformas digitais do artista.

“‘Castelo de Areia’ contém aspectos distintos e, quase sempre, complementares. Não é fácil, afinal, mesclar imagens contemporâneas, como o whatsapp, e medievais, como ‘castelo’, ‘rei’ e ‘rainha’, sem perder o fio da meada. Num contexto atual, porém, quem pode negar que certos códigos de comunicação – ou falta de –, tenham se tornado os dragões que nos separam de nossas Dulcineias, imaginárias ou não?,” indaga o cantor de 21 anos.