Regina Duarte no Fantástico
Reprodução/Globo (via Na Telinha)
 

A atriz Regina Duarte ficará desempregada se as intenções do governo Bolsonaro de fechar a Cinemateca se confirmarem. Ela foi anunciada como chefe da instituição no último dia 20, após deixar a Secretaria Especial de Cultura.

Segundo a coluna do jornalista Ricardo Feltrin, no UOL, o governo federal quer que a Fundação Roquette Pinto, que administra a Cinemateca, demita os cerca de 150 funcionários que trabalham na preservação da produção do audiovisual do país.

Para não ser completamente descartada por Bolsonaro, fontes afirmam que nos bastidores de Brasília corre negociação para Regina ser transferida para algum cargo sob comando do Ministério do Turismo e, assim, continuar recebendo seu salário de cerca de R$15 mil.

Regina Duarte na Cinemateca

A atriz, que deixou a Rede Globo após 50 anos de carreira, não chegou a assumir a direção da Cinemateca, mesmo tendo sido anunciada para o cargo no mês passado.

Agora a instituição localizada em São Paulo segue sem rumo definido, já que o Ministério Público de São Paulo quer investigar a intenção de Bolsonaro de fechá-la. Ela foi inaugurada na década de 40.

A Prefeitura da Cidade de São Paulo já teria manifestado interesse em gerir a Cinemateca e apoiar a manutenção de seu acervo, que conta com milhares de rolos de filmes e fotografias.

O cargo deixado por Regina Duarte na Secretaria Especial de Cultura ainda não foi ocupado, mesmo após as especulações de que o ator Mario Frias seria o substituto da veterana.

Recentemente, te contamos por aqui quando Wagner Moura primeiro poupou Regina de críticas pesadas, porém, mais tarde voltou atrás e a chamou de “nazista”. Leia mais.

 
Compartilhar