M. Shadows e Gerard Way
Fotos via Wikimedia Commons
Ouça nova versão do disco ao vivo do Pink Floyd!  

M. Shadows Gerard Way, respectivamente vocalistas do Avenged Sevenfold e do My Chemical Romance, fizeram cartas para expressar seus posicionamentos acerca dos protestos que ocorrem nos EUA em nome do assassinato covarde de George Floyd e do combate ao racismo sistêmico no país.

A abordagem dos dois foi diferente, mas o sentido foi o mesmo no fim das contas: uma declaração de apoio à causa acompanhada de indicações como material para estudo e links para doações.

Shadows focou mais em fazer uma espécie de mea culpa, já que relata que “a base de fãs do Avenged Sevenfold tem muito poucos americanos negros” e pareceu inclusive mais propenso a dialogar com o grupo que faz parte da maioria de sua base de fãs. O cantor ainda admitiu que irá — e deve — ser cobrado por associar a imagem da banda no passado a símbolos considerados racistas, como a bandeira dos Confederados.

Já Gerard fez um posicionamento mais óbvio, uma vez que ele e sua banda nunca estiveram envolvidos em polêmicas relacionadas ao tema, como é o caso do A7X. Ainda assim, o vocalista deixou bem claro que “jamais entenderá essa dor” e indicou links para aqueles que, assim como ele, estão buscando se educar sobre o tema.

Você pode ler as duas cartas traduzidas na íntegra a seguir, respectivamente via Revolver  Kerrang!.

Carta de M. Shadows

Para cada ser humano no planeta, múltiplas encruzilhadas irão aparecer no caminho de suas curtas vidas. Hoje, nos é apresentada uma chance de mudar algo que empesteia esse país por 400 anos: o racismo, tanto individual quanto institucional, contra os nossos irmãos e irmãs Afro-Americanos. Eu espero que possamos ser honestos com nós mesmos; dar um passo pra trás e escolher entre certo e errado e rejeitar hipérboles políticas. Eu não estou interessado em mandar uma mensagem neutra proclamando que ‘motins não são a resposta’ ou ‘machucar pessoas inocentes não ajuda a causa’. Todos reconhecemos isso, e se essa é a única mensagem na qual você está focado durante esse duro tempo então eu te peço para cavar mais fundo.

Há uma massiva fenda nesse país e nossos compatriotas americanos estão machucados e têm estado assim por um tempo muito longo. Protestos pacíficos não resultaram em nada. Gritos atingiram ouvidos surdos. [Colin] Kaepernick se ajoelha e metade do país entra em uma loucura sobre isso ser ‘o tipo errado de protesto’. Qual exatamente é o tipo ‘certo’ de protesto? Um no qual VOCÊ não tem que ver ou ouvir as ideias que você não gosta? Essa opinião parece não estar de acordo com o propósito, na minha visão. Muitos falaram que a posição do Kaepernick foi ‘desrespeitosa com aqueles que serviram [no Exército]’, mas eu acredito que é esse tipo de liberdade o qual muitos cederam suas vidas para proteger. Eu respeito e aprecio os nossos veteranos enquanto também estou completamente de acordo com o direito de se expressar livremente de Kaepernick e outros. Se tivéssemos ouvido os protestos antes deste com uma mente aberta e um coração aberto, talvez estivéssemos em um barco diferente do que estamos agora. Se tivéssemos exigido coletivamente uma reforma antes de tantos atingirem o ponto de ruptura, então talvez estivéssemos dividindo ideias ao invés de batalhando por diferenças. A realidade é, isso não é um ‘problema preto’ — é um problema americano. Até que o tratemos como tal, as coisas vão continuar do mesmo jeito.

O meu melhor amigo na última década é Afro-Americano. Meu cunhado e meu sobrinho são Afro-Americanos. Nossos membros da equipe, pessoas que trabalham conosco… estes são humanos que eu amo profundamente e que simplesmente vivem uma experiência diferente da minha por conta de suas aparências externas. Os péssimos comentários por baixo dos panos que já ouvi deveriam deixar qualquer pessoa fisicamente mal. Os olhares feios, os sussurros, as provocações. Isso é só uma parte das suas vidas diárias, e de alguma forma, eles levantam o queixo e seguem em frente. É normal para eles. Para os meus amigos brancos, vocês conseguem imaginar viver assim por um momento? É horrível e injusto. Caramba, eu levei meu cunhado para um show do Slipknot alguns anos atrás (sua banda preferida) e a tensão de um homem negro naquela plateia era palpável. O que me traz ao meu ponto.

Se você é branco e tem estado ‘no banco de reservas’ dessa situação, precisamos que você se levante. Se posicionar por nossos compatriotas americanos não significa que você compactue com os vandalismos. Simplesmente significa que você está ouvindo e quer ajudar. Se você postou em oposição aos motins mas estava quieto antes quando Ahmaud Arbery, George Floyd e Breonna Taylor, além de outros até demais, foram mortos, por favor se pergunte o porquê. É hora de mostrar aos nossos compatriotas americanos que nós os ouvimos e sentimos as suas dores. Isso não pode ser sobre as suas alianças políticas. Isso não pode ser sobre o que seus amigos ou famílias vão pensar de você. Essa não é uma luta que nossos compatriotas americanos deveriam enfrentar sozinhos. Se alguém diz, ‘Vidas Negras Importam’, e a sua resposta é ‘Todas as Vidas Importam’ então talvez você deveria olhar para a origem dessa reação. Toda vida tem valor — isso é o óbvio — mas agora as vidas dos oprimidos requerem a nossa atenção total. Sim, a polícia tem um trabalho incrivelmente intimidante, e muitos vivem de acordo com a integridade de suas posições, mas se esse é o seu ponto de contenção, eu digo NOVAMENTE: as vidas dos oprimidos requerem a nossa atenção total agora.

Eu entendo que a base de fãs do Avenged Sevenfold tem muito poucos americanos negros. É por isso que eu me sinto mais compelido do que nunca a escrever isso para vocês. Nós podemos ser — a comunidade do rock e do metal — que vão estender a mão e mostrar a compaixão que eu sei que está em todos nós para poder ajudar nossos companheiros humanos. Eu, por exemplo, gosto da cultura negra americana. A música, a arte, os filmes, as roupas, o esporte, a comida. Tudo isso fez a minha vida melhor. Eu não tenho dúvido de que somos um país melhor por causa da influência dos americanos negros. Caramba, o Chuck Berry foi o Pai do Rock & Roll! Se posicionar contra a desigualdade e o racismo sistêmico é o mínimo do mínimo que podemos fazer.

Eu estou ciente de que no passado o Avenged antagonizou com algumas de nossas letras e imagens. Nós também já usamos bandeiras dos confederados em nossas artes enquanto fazíamos tributos aos artistas que crescemos ouvindo ou para simplesmente tentar começar uma polêmica. Eu tenho certeza que nossa atenção será chamada, e com toda razão, pelas pessoas que lerem isso. Sem desculpas. Mas todo mundo cresce em algum momento, e eu me sinto grato por ter uma plateia que nos permitiu evoluir junto a eles. Eu só posso esperar que a comunidade do rock e do metal, e a comunidade branca em geral, possa seguir em frente com uma mente aberta e se juntar para ajudar nossos compatriotas americanos nesse tempo desesperador.

-M

Carta de Gerard Way

Eu poderia começar dizendo que eu precisei de tempo para pensar, para ficar explicando os dias de silêncio.

Eu poderia dizer que não há palavras, ou que eu não sei por onde começar. Mas não saber por onde começar é uma forma ruim de começar, e dias de pensamento são um luxo.

Tendo o tempo, e mais importante a segurança, para refletir sobre as palavras de alguém é um privilégio para mim, juntamente com vários outros privilégios que eu possuo devido à cor da minha pele. E esses privilégios são algo do qual nem todo mundo se beneficia. Não há muito tempo para pensar, certamente não dias, quando o joelho está no seu pescoço. Quando as balas penetram, ou o gás lacrimogênio encontra seu alvo. Quando gerações de opressão sistemática permissiva, e seus guardiães, trabalham contra você. Quando oportunidades não lhe são dadas por você ser quem você nasceu para ser.

Eu sempre me considerei empático, é uma das razões pelas quais eu acredito que consigo fazer o meu trabalho. Mas mesmo com toda a dor que eu já recebi, eu nunca irei começar a entender a dor que vocês conhecem. Eu nunca poderia sentir a dor que vocês sentem.

E eu peço profundas desculpas pelas coisas não terem mudado.

Eu não posso começar a entender a experiência de vocês, mas o que eu posso fazer é ficar do lado de vocês. Continuar as discussões internas que estamos tendo sobre formas de efetivar mudanças de formas não-performáticas. Formas significativas além deste momento, além deste gesto.

E este é um momento, como muitos outros momentos antes deste e as incontáveis vidas perdidas. Eu vou abrir o meu coração, para receber o que vocês têm a dar — raiva, frustração, tristeza, mas fazendo isso, eu sei que nunca serei capaz de entendê-los como vocês entendem, e definitivamente não terei essa experiência. Eu só posso me abrir pra vocês, e aceitar o que vocês tiverem para dar.

Grato pela sua gentileza, sua honestidade, e a sabedoria que vocês compartilharam com a qual eu continuarei me educando. Eu sou, e continuarei sendo, inspirado pela sua raiva.

Para informações ou se você puder doar, esse é um ótimo lugar para isso: Naacpldf.org