John Dolmayan do System of a Down
Foto via Wikimedia Commons
 

O novo disco do System of a Down parece cada vez mais distante, já que o próprio Serj Tankian resolveu lançar algumas de suas composições em um EP solo. E para o baterista John Dolmayan, em entrevista a uma rádio (via Blabbermouth), essa situação é uma “tristeza”:

É uma tristeza para mim que a gente nunca realmente atingiu nosso potencial e provavelmente nunca iremos. Mesmo se você lançar um álbum agora, você não pode pegar de volta os anos em que você não fez nada. E eu acho que se você falar com alguns dos outros membros da minha banda, eles não enxergam isso assim, porque eles não ficaram necessariamente ausentes.

John se refere ao fato de projetos paralelos dos membros do SOAD, como a carreira solo de Serj que rendeu discos como Elect the Dead (2007) e Harakiri (2012) e a banda Scars on Broadway, comandada por Daron Malakian e da qual o próprio Dolmayan chegou a fazer parte por um tempo.

John Dolmayan e o System of a Down

Recentemente, o baterista lançou um disco solo intitulado These Grey Men que reuniu covers de artistas diversos, indo de Madonna Radiohead, e que tem participação do brasileiro Jonathan Dörr (Ego Kill Talent).

Mas, para ele, nada disso substitui a química que acontece quando todos os integrantes do System se juntam:

O ponto é que ainda que você possa fazer algo sozinho, como o meu álbum solo, ‘These Grey Men’, eu não tive o benefício dos três outros caras na minha banda que são tão instrumentais em desenvolver o som que eu passei a me acostumar, a qualidade das músicas, o estilo de escrita, o conteúdo lírico. Todo mundo trazia algo único ao System of a Down, e o ponto é que quando você vai e faz seu próprio projeto, você vai fazer o melhor que pode para fazê-lo ótimo, mas você não tem o benefício do talento das outras pessoas que estavam na sua banda com você. E eu acho que cada um de nossos projetos solo é mais pobre por isso, ainda que haja muito conteúdo positivo e bom vindo de cada um de nós individualmente, ainda é pouco comparado ao que poderíamos ter conquistado juntos.

Mas isso não está aqui nem ali; não é algo que está ao meu alcance. Minha banda é estúpida, e nós vamos continuar sendo estúpidos, eu acho. Mas não estamos sozinhos. O TOOL foi estúpido por um bom tempo, e o Rage Against the Machine tem estado quieto por algum tempo também.

Vale lembrar que os últimos lançamentos do System of a Down foram os discos Mezmerize e Hypnotize, ambos lançados em 2005. Você pode ouvir a entrevista de John Dolmayan abaixo.

   
Compartilhar