Repórter da CNN preso
 

O nível de tensão em Minneapolis, nos Estados Unidos, está muito alto e hoje a cidade protagonizou mais um episódio lamentável com direito a uma transmissão ao vivo.

Como a gente falou por aqui, a cidade entrou em combustão depois que a polícia norte-americana cometeu mais uma barbárie motivada pelo racismo ao matar George Floyd.

Algemado e com vídeos que mostram que ele não resistiu à prisão em nenhum momento, o homem, negro, foi jogado ao chão por um policial branco e com o joelho em seu pescoço, o oficial colocou todo peso do corpo no rapaz.

Suas diversas súplicas dizendo que não conseguia respirar não foram suficientes para que o “homem da lei” parasse, o que ocasionou a morte de Floyd ali mesmo, durante o dia e no meio da rua.

Não à toa, diversos artistas se manifestaram contra o enésimo abuso de autoridade da polícia contra a população negra norte-americana nos últimos anos e muita gente foi pras ruas mesmo em tempos de pandemia e quarentena.

Protestos em Minneapolis

Lá, diferente de cá, as pessoas não optaram por “notas de repúdio”, mas sim por protestos violentos onde prédios foram completamente queimados e/ou depredados.

Com três noites seguidas de manifestações, as equipes de jornalismo estão nas ruas para fazer seu trabalho mas parece que no meio de tudo, ao vivo e com mais um caso de racismo, um repórter da CNN foi preso sem ninguém entender o porquê.

Negro e latino, Omar Jimenez estava cobrindo o caso no local e, inclusive, atendendo pacientemente aos requisitos, se identificando como imprensa para estar por ali entre as barreiras de policiais.

De repente ele foi algemado e levado dali, e há relatos de que outros repórteres, brancos, não tiveram o mesmo tratamento, tendo sido “liberados” para trabalhar.

Desculpas do Governador

O governador do estado de Minnesota, Tim Walz, disse que “pedia profundas desculpas” pelo que aconteceu e deu ordens imediatas para que a equipe fosse solta.

Além de Jimenez, o produtor Bill Kirkos e o cinegrafista Leonel Mendez também foram presos, mas após a intervenção do governador, acabaram liberados.

Walz disse que as prisões eram “inaceitáveis” e garantiu que a equipe da CNN poderia estar ali, dizendo que quer que a mídia esteja no local cobrindo os protestos.

Opinião de Especialista

Um chefe de polícia ouvido pela própria CNN chamado Charles Ramsey, que já liderou departamentos na Filadélfia e em Washington D.C. e agora trabalha para o canal como analista de segurança, disse que as prisões “não fazem o menor sentido”:

A polícia estadual terá muito o que responder por causa dessa prisão.

Ele está lá parado, se identificou. Você consegue ver as credenciais dele. Apenas o leve para o lugar onde você quer que ele fique.

Não é possível que algo assim possa acontecer.

Você pode assistir ao vídeo do momento logo abaixo.

Vale ressaltar que Omar Jimenez também é músico e atende pelo nome artístico de OJ Trop.

Em 2019 ele lançou um EP chamado The A-Block, que você pode ouvir logo abaixo.

 

 

 
 
Compartilhar