Elza Soares com roupa de alfinetes
Foto por Marcos Hermes
 

Em momentos como esse, o setor cultural tem se adaptado ao máximo para que toda a cadeia trabalhadora não saia prejudicada. Como medida de cautela, organizadores do Nômade Festival adiantaram a venda de ingressos, mesmo sem data determinada. Até então previsto para o dia 3 de Outubro, a terceira edição traz Caetano Velozo e Elza Soares como as primeiras atrações do line-up.

Ao promover a abertura das vendas, o festival também busca um movimento para apoiar a arte e a cultura, fazendo a roda girar mesmo dentro de casa. O Nômade gera mais de 1.120 empregos. Nessa cadeia, os profissionais de base são os mais prejudicados, como carregadores, barmans, seguranças, encarregados da limpeza, staff de credenciamento, bombeiros, ambulantes, produtores freelancers e outras funções. Com isso, todo o valor arrecadado será destinado antecipadamente para o pagamento de fornecedores e profissionais envolvidos na realização do festival.

Em depoimento na divulgação do evento, Luiz Restiffe, sócio proprietário da Agência InHaus, organizadora do festival, afirmou que o foco é para os “Nômades Anônimos”.

Nós estamos bem, obrigado! Nossos headliners também estão bem. Mas e os nossos nômades anônimos? Como estão? Eles estão sem renda! Por completo! Precisamos, nesse momento de pandemia, é que o setor cultural não pare. Essas pessoas dependem da realização de eventos para sobreviver.

Nômade Festival

Em 2019, como falamos aqui, o Nômade Festival reuniu 10 mil pessoas no Memorial da América Latina, em São Paulo. Para 2020, a proposta é que seja a mesma, independente de qual data seja confirmada. Para fazer parte dessa colaboração, os ingressos estão disponíveis no site oficial do festival.