Simoninha
Crédito: Chrys Galante
 

O cantor e compositor Wilson Simoninha liberou no YouTube o clipe para a versão de “Moro no Fim da Rua”, lançada originalmente por seu pai, Wilson Simonal, em 1970. A regravação faz parte do projeto Na Minha Quarentena Eu Canto Assim, em que Simoninha registra em vídeos composições inéditas e releituras de clássicos em estilo bem minimalista.

No clipe, que tem produção da S de Samba, o filho de Simonal é acompanhado pelo violão solo de Guiza Ribeiro.

Feito de forma colaborativa, o Na Minha Quarentena eu Canto Assim funciona como uma alternativa para o novo disco autoral de Simoninha, que seria gravado na Califórnia.

“Coloco a voz de minha casa e os músicos e produtores também atuam remotamente. Quero mostrar simplicidade como verdade, para fazer registro fiel ao momento que estamos vivendo. Estou me adaptando e acho que o momento é de descobertas,” afirma o cantor.

Os próximos lançamentos do projeto são os singles “Minha Música” e “Carnaval e Réveillon”.

Simão

Simão
foto: divulgação

O cantor e compositor catarinense Simão estreou na carreira com a música “Seu Nome”, que chega acompanhada de um clipe já divulgado no YouTube. O vídeo foi gravado na Praia Brava, em Itajaí (SC), e explora as belas paisagens do local.

“Essa é uma música que eu tenho guardada já há um tempo e tenho um carinho muito especial. Sempre gostei muito da levada dela e acreditei que tinha um potencial bem grande. Por isso, eu resolvi tirar um ano de experiência, tocar em vários lugares, aqui em Santa Catarina, pegar presença de palco e, agora, eu vi que era o momento, o ano, de lançar ela, com uma equipe junto para levar ela ao mundo,” comenta Simão.

Aos 25 anos, o artista já colaborou em composições com Vitor Kley (seu padrinho musical), Atitude 67 e Vitão.

Ordinary John

Ordinary John
foto: Fernanda Leal

O músico recifense João Figueirôa, que atende artisticamente pelo nome Ordinary John, disponibilizou nas plataformas digitais o single “Daydream”. O projeto do artista de 25 anos surgiu no final de 2019 e, de lá para cá, ele já lançou cinco músicas, que misturam a sonoridade do bedroom pop com elementos dos anos 1980.

“Essa música aponta para uma sonoridade que eu penso em explorar cada vez mais nas minhas próximas músicas, timbres mais suaves, contemplativos, porém nunca fugindo da música pop, que também é minha paixão, ainda gosto de compor numa pegada mais literal e com refrões que grudam na cabeça. A letra reflete sobre estar sempre pensando demais sobre pequenas coisas, atitudes, etc e por isso muitas vezes perder oportunidades e momentos,” opina João.

Tropiques

Tropiques
foto: divulgação

O músico da banda instrumental Constantina Daniel Nunes, um dos idealizadores do selo musical mineiro La Petite Chambre Records, está envolvido com o projeto At Home With…(songs for solitude), que aproveita o isolamento social para fazer música, mesmo à distância.

A cada semana, eles convidam um artista do catálogo da La Petite Chambre para lançar duas canções inéditas disponibilizadas na página da plataforma bandcamp. A série já está no nono lançamento, que desta vez traz o projeto do músico franco-brasileiro Alex Fernandino, Tropiques. Você pode escutar aqui.

Os artistas e bandas que participaram anteriormente foram (nesta ordem) a própria Constantina, lise, Sentidor, Marco Sacarassatti, A_D_A, James A. McDermid, El Conejo
e Grotta Veterano.

Pássaro Vivo

Pássaro Vivo
foto: divulgação

A banda mineira Pássaro Vivo lançou recentemente no YouTube o clipe para o single “Apartá”. O vídeo foi registrado durante a quarentena e por isso todos aparecem dentro de suas casas, respeitando as orientações de saúde por conta da pandemia da Covid-19.

Roteirizado e editado pelo próprio grupo, o clipe foca na dança e na expressão corporal, mostrando diversos dançarinos e amigos da banda interpretando a música com seus corpos em movimento. No ano passado, a Pássaro Vivo estreou com o disco Sobre Asas e Raízes.