Lobão
 

Durante as últimas eleições, o músico Lobão foi voz ativa principalmente no Twitter e tinha um candidato declarado: o então deputado federal Jair Bolsonaro.

Acontece que nesse último período de mais ou menos 1 ano e meio, o cara não apenas se arrependeu de sua campanha e do seu voto, como inclusive já chegou a dizer que o atual presidente da República deveria ser tirado do cargo por impeachment.

Na ocasião, Lobão afirmou que o país “está desmilinguindo”, e agora ele voltou a falar sobre política em uma entrevista para o UOL.

Lobão fala de Lula e Bolsonaro

Por lá, não mediu palavras para falar em vídeo sobre o que acha de Jair se o antecessor de Dilma Rousseff, Lula.

Na conversa, ele inclusive usou uma alusão ao Flamengo para explicar seu ponto de vista:

Uma vez o Flamengo ganhou com um gol de impedimento e falei com os amigos que não conseguia ficar alegre com um gol ilícito. Acho a mesma coisa agora. Quando o PT cometeu tudo aquilo [no poder], não achei nem um pouco engraçado, mas as pessoas diziam que valia tudo para estar ali (…) É a mesma coisa com o Bolsonaro, essa desonestidade.

A coisa que o PT fazia quando você falava ‘Mas e o Lula?’, quando você fazia um senão, diziam ‘tucano’. E agora quem está lá diz ‘é comunista’. O Lula era ladrão e o Bolsonaro é um facínora. Uma coisa não elimina a outra…

Em outro ponto da entrevista, Lobão diz que existe uma “impossibilidade de reconhecimento de erros”, e fala:

Acho que essa foi minha grande experiência de peitar essas duas oposições. Elas têm similaridades muito grandes, principalmente no quesito da desonestidade intelectual.

No embalo, ainda disse que vê um ponto positivo nisso tudo:

No meio dessa brigaiada, está nascendo na sociedade um segmento que não está aguentando mais. Espero que não seja um terceiro segmento com as mesmas características (…) Espero que haja mais um senso de coletividade.

Olavo de Carvalho

Além de falar do governo em si, ainda houve espaço para o dono de hits como “Me Chama” dizer que quem “realmente manda” no Brasil é Olavo de Carvalho, ex-jornalista, astrólogo e ideólogo que influenciou uma parte imensa dos seguidores do presidente e é apontado por muitos como “dono” de indicações a cargos importantes no Planalto.

Você pode ler a entrevista clicando aqui.

 
 
Compartilhar