Lana Del Rey no clipe de Doin Time
   

Há algumas horas os fãs de Lana Del Rey ficaram muito satisfeitos com uma novidade da cantora.

Em sua conta no Instagram, ela avisou que um novo disco irá chegar no dia 05 de Setembro, mas a informação do álbum foi apenas a ponta do iceberg em um textão de Lana para falar sobre suas músicas, carreira, críticas e feminismo.

Por lá, a artista citou nominalmente outras cantoras como Doja Cat, Ariana Grande, Camila Cabello, Cardi B, Nicki Minaj e Beyoncé, e disse:

Questão para a cultura:

Agora que Doja Cat, Ariana, Camila, Cardi B, Kehlani e Nicki Minaj e Beyoncé tiveram vários sucessos número um com músicas sobre ser sexy, não usar roupas, transar, trair etc – eu posso voltar a cantar sobre me sentir bela por estar apaixonada mesmo se o relacionamento não é perfeito, ou dançar por dinheiro – ou qualquer coisa que eu quiser – sem ser crucificada ou dizer que estou glamorizando o abuso??????

Estou de saco cheio de escritoras mulheres e cantoras alternativas dizendo que eu glamorizo o abuso quando na realidade sou apenas uma pessoa glamourosa cantando sobre as realidades do que somos vendo agora que relacionamentos emocionalmente abusivos são bastante predominantes no mundo todo.

Com todos os tópicos que as mulheres estão finalmente podendo explorar eu só quero dizer que pelos dez últimos anos eu acho que é patético que as minhas mínimas explorações líricas detalhando os meus papeis às vezes submissos ou passivos em meus relacionamentos tenham feito as pessoas dizerem que eu atrasei as mulheres em centenas de anos.

Que isso fique claro, eu não não sou uma feminista – mas é necessário existir um lugar no feminismo para mulheres que se parecem e agem como eu – o tipo de mulher que diz não mas os homens ouvem sim – o tipo de mulher que é repreendida sem dó por ser autêntica, delicada, o tipo de mulher que tem suas histórias e vozes roubadas por mulheres mais fortes ou homens que odeiam mulheres.

Eu tenho sido honesta e otimista a respeito dos relacionamentos desafiadores que eu tive. Grande notícia! É assim que as coisas acontecem para muitas mulheres.

E infelizmente essas foram as minhas experiências até chegar ao ponto em que os meus discos foram feitos. Então eu queria dizer que têm sido longos 10 anos de resenhas de merda até recentemente e eu aprendi com todas elas mas eu também acho que isso construiu um caminho para que mulheres parassem de ‘fingir um sorriso’ e se sentissem à vontade para dizer o que diabos quisessem em suas músicas – ao contrário das minhas experiências onde se eu expressasse uma nota sequer de tristeza em meus dois primeiros discos eu era categorizada literalmente como histérica como se fossem literalmente os Anos 20.

Enfim, nada disso tem muito a ver com isso mas eu estarei detalhando alguns dos meus sentimentos nos meus próximos dois livros de poesia (principalmente o segundo deles) com Simon e Schuster. Sim, eu ainda estou fazendo reparações pessoais com os lucros dos livros para a minha escolha de fundações Nativo Americanas sobre as quais eu sou muito feliz. E eu tenho certeza que haverá traços do que eu venho ponderando no meu novo disco que será lançado em 05 de Setembro.

Obrigado pela leitura

Feliz Quarentena

Não à toa, há muita gente concordando e outra grande parcela discordando das declarações de Lana e o assunto é um dos mais comentados no Twitter nas últimas horas.

Novo Disco de Lana Del Rey

Vale lembrar que em declarações no passado, Lana disse que seu novo disco seria de “palavra falada”, com poesias.

Ainda há especulações como dois deles seriam lançados em 2020, com nomes como White Hot Forever e Violent Bent Backward Over The Grass, mas a cantora não deu mais detalhes.

Seu mais recente disco de estúdio é Norman Fucking Rockwell!, eleito aqui no TMDQA! como o Melhor Álbum Internacional de 2019.