Regina Duarte
Foto: Wikimedia Commons

Como te explicamos por aqui na semana passada, a atriz e secretária da Cultura Regina Duarte teve uma participação bem bizarra em um programa da CNN Brasil que envolveu um vídeo gravado por Maitê Proença.

Ao final de uma entrevista em que relativizou mortes e tortura, o canal começou a mostrar a gravação de Maitêque iria pedir para que Regina conversasse com a sua classe, a classe que representa no cargo que ocupa, a dos artistas.

O vídeo gravado naquele mesmo dia à tarde mal começou e a Secretária “deu um chilique”, como ela mesmo descreveu, falando que o canal de televisão estava “desenterrando” coisas. Aparentemente a atriz achou que esse era um vídeo publicado anteriormente, mas na verdade ele foi feito especialmente para essa ocasião, como uma forma de diálogo.

Manifesto de repúdio a Regina Duarte

Alguns dias depois o ocorrido, um grupo de mais de 500 artistas assinou um manifesto que repudia as declarações da atual secretária na televisão.

Entre nomes de diversas áreas, indo desde atores e músicos até intelectuais da área e produtores culturais, estão pessoas como a atriz Adriana Esteves, o jornalista Juca Kfouri, o cantor Lenine, a cantora Marina Lima, o apresentador Marcelo Tas, o ator Miguel Falabella, a cantora Rita Lee, o músico Tony Bellotto e tantos outros, como você pode conferir por aqui.

De acordo com a carta, publicada pelo G1 na íntegra e disponível abaixo, o grupo se declara como “parte da maioria de cidadãs e cidadãos que defende a democracia e apoia a independência das instituições para fazer valer a Constituição de 1988” e, após reiterar que “não tolera os crimes cometidos por qualquer governo” e pedir “respeito aos mortos” devido à gravidade do momento que vivemos, afirma que “não admite a destruição do setor cultural ou qualquer ameaça à liberdade de expressão”.

Você pode conferir todo o manifesto logo abaixo.

Íntegra da carta

Brasil, 08 de maio de 2020

Somos artistas brasileiros e fazemos parte da maioria de cidadãs e cidadãos que defende a democracia e apoia a independência das instituições para fazer valer a Constituição de 1988.

Fazemos parte da maioria que entende a gravidade do momento que estamos vivendo e pedimos respeito aos mortos e àqueles que lutam pela própria sobrevivência no país devastado pela pandemia e pela nefasta ineficiência do poder público.

Fazemos parte da maioria de brasileiros que não tolera os crimes cometidos por qualquer governo, que repudia a corrupção e a tortura e que não deseja a volta da ditadura militar.

Fazemos parte da maioria que não aceita os ataques reiterados à arte, à ciência e à imprensa, e que não admite a destruição do setor cultural ou qualquer ameaça à liberdade de expressão.

Como artistas, intelectuais e produtores culturais, formamos a maioria que repudia as palavras e as atitudes de Regina Duarte como Secretária de Cultura.

Ela não nos representa.

 
Compartilhar