chris evans em filme de bong joon ho
Foto: Divulgação
 

O período de distanciamento social está servindo para muita gente riscar itens da lista de filmes e séries para assistir, não é? Pensando nisso e no barulho que o diretor Bong Joon-Ho causou no Oscar desse ano, que tal se aprofundar um pouco mais na filmografia desse grande cineasta?

Algumas pessoas nem sabem, mas ele já dirigiu estrelas de Hollywood como Chris Evans e títulos originais da Netflix antes de ganhar o Oscar com Parasita. Então não foi exatamente uma surpresa “descobrir” o sul-coreano e seu talento. Veja só.

Okja (2017)

Filme original da Netflix, Okja conta a história de uma criatura apelidada de “super-porco”, descoberta no Chile. Uma empresa multinacional americana cuida da nova espécie em laboratório para que ela possa se reproduzir e oferecer uma série de recursos e envia alguns deles para diferentes partes do mundo para ver como eles se desenvolvem.

É interessante por mostrar a dualidade entre os interesses puramente mercadológicos e o sentimentalismo que envolve criadores de animais em diferentes culturas – nesse caso, especialmente no Oriente.

 

Expresso do Amanhã (2013)

Olha o Capitão América aí! Chris Evans vive o protagonista Curtis, que trava uma luta de classes em um futuro pós-apocalíptico. Os únicos sobreviventes de um acidente que causa uma nova Era Glacial vivem a bordo de um trem, cuja estrutura social privilegia uma minoria dos primeiros vagões, enquanto os habitantes dos últimos estágios sofrem com condições precárias. Em certos aspectos, a premissa lembra O Poço (2020), para quem gostou do filme espanhol.

O elenco conta ainda com Tilda Swinton, Octavia Spencer, Ed Harris e Song Kang-ho (o pai da família protagonista de Parasita), entre outros.

 

Mother – A Busca Pela Verdade (2009)

Uma mulher cuida sozinha do filho que, apesar de já ser adulto, sofre de distúrbios mentais e exige cuidados constantes. Quando ele é acusado de assassinato e sequer parece saber o motivo de estar sendo preso, a mãe tem que se desdobrar para provar a inocência dele. Esse é o drama mais profundo da carreira de Joon-ho.

 

Tokyo (2008)

Colaboração dirigida e escrita por Joon-ho em parceria com Michel Gondry (Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças) e Leos Carax, Tokyo conta três histórias que têm a capital japonesa como cenário. A primeira é sobre um casal que tenta se adaptar à metrópole; a segunda, sobre uma criatura misteriosa que gera sentimentos mistos na população até sua captura; e a terceira é sobre um homem que vive isolado há anos e acaba se apaixonando por uma entregadora de pizza.

 

O Hospedeiro (2006)

Um dos candidatos a melhor filme do diretor antes de Parasita estrear, O Hospedeiro é a consolidação do nome de Bong Joon-ho no cenário internacional, marcando sua estreia dele em Cannes. A história segue Park Gang-du (olha o Song Jang-ho de novo), cuja filha é levada por um monstro criado a partir da poluição causada por uma indústria de produtos químicos. Gang-du e sua família, então, passam a lutar contra seus próprios medos para salvar a garota.

 

Memórias de um Assassino (2003)

Quer história de crimes? Tem também. A trama de Memórias de um Assassino é inspirada em um caso real e se passa em 1986, quando o corpo de uma mulher é encontrada com marcas de tortura. Dois detetives ficam responsável pelo caso (Song Kang-ho é um deles, o que mostra que essa parceria dá certo há muito tempo), mas têm que lidar com a participação de um terceiro policial, cujo comportamento dificulta um pouco a convivência.

Esse é considerado um dos primeiros serial killers da Coreia do Sul, que na época havia acabado de sair de uma ditadura militar e estava em processo de redemocratização.

 

Cão Que Ladra, Não Morde (2000)

O filme de estreia de Bong Joon-ho é uma comédia e acompanha Ko Yun-ju (Lee Sung-jae), um professor em crise que está desempregado e tem sido sustentado pela esposa, grávida. Ele adiciona à lista de irritações os latidos do cachorro de um vizinho e, quando vai resolver o assunto, acaba perdendo o controle da situação. O timing cômico do diretor logo no seu primeiro filme já mostrava que havia um grande potencial ali.

O elenco também conta com Donna Bae, a Sun, de Sense8.

cena filme de bong joon ho
Foto: Divulgação