Protomartyr galerito
 

Quando você começa a ouvir uma música da banda americana Protomartyr, parece que o tempo se fecha automaticamente. Nuvens escuras se formam no céu, clima chuvoso lá fora, uma deprê que casa com as temáticas e as letras da banda de pós-punk. Mas ao falar com a banda e – principalmente – ao ver o hilário vídeo de “Processed By The Boys”, a imagem é de uma banda espirituosa vendo o mundo sob uma ótica única.

Inspirado na hilária luta entre Galerito e Gil da Esfirra na TV amazonense (se você não viu, veja abaixo), o clipe antecipa o disco ‘Ultimate Success Today”. Conversamos com o vocalista Joe Casey sobre o novo trabalho e como eles chegaram nesse clipe.

O novo disco da banda, Ultimate Success Today, teve seu lançamento adiado para 17 de Julho.

TMDQA!: Como anda a quarentena? Como você está se mantendo bem e criativo?

Protomartyr: Olha, eu não sei! (Risos) Estou naquele clima de tentar não perder o conforto e só passar cada dia de uma vez, sabe? Lendo bastante, tentando aprender uma nova língua.

TMDQA!: Sempre senti que a sua música parecia uma trilha sonora para momentos de caos. Compor é um modo para vocês lidarem com o mundo.

Protomartyr: Sim, e também de aprender a lidar com os sentimentos. Ser verdadeiro e honesto. Se eu escrevesse músicas sobre ir pra festas e pular de felicidade seria algo ingênuo e mentiroso pra mim, que sou um mal-humorado por natureza. (Risos)

TMDQA!: E o que podemos esperar pro novo disco?

Protomartyr: Músicas sobre ir pra festas e pular de felicidade! (Risos) Trouxemos novos colaboradores e a sonoridade mudou um pouco. Curioso é que durante a gravação eu tava doente e lidar com isso e um sentimento pesado refletiu. Soa até irônico hoje isso.

TMDQA!: Vocês atraíram muita atenção aqui no Brasil por causa do vídeo que você usaram um dos nossos momentos mais bizarros. Como vocês chegaram nesse video? Qual foi a ideia por trás?

Protomartyr: A gente desde o começo queria fazer algo mais leve. Aí um dia eu vi um link para um vídeo. Vi o título ‘homem bate em boneco’ e tive que clicar. (Risos) Tudo. Tudo no vídeo é maravilhoso. O cantor, o boneco, o cara que tá batendo no boneco, o público. Eu acho fascinante o ódio no olhar do cara batendo no boneco. Depois de um tempo, soubemos do contexto, de Manaus, e o vídeo ganhou todo uma camada de trevas que adoramos.

TMDQA!: E quando essa loucura passar, seria um bom momento para vocês virem aqui, hein…

Protomartyr: Sim, queremos demais. Lembro da primeira vez que mandaram um “come to Brazil” pra gente, a gente ficou naquele clima “eles repararam na gente”! (Risos) Mas a gente quer mesmo agora é ir em Manaus! E na verdade, isso vem de muito antes. Muitos anos atrás o White Stripes, que é da nossa cidade (Detroit), tocou lá e fiquei muito impressionado e coloquei isso como um desafio pessoal de vida.

TMDQA!: Você têm mais discos que amigos? Tem algum disco que é quase um amigo pra você?

Protomartyr: Sim! Sempre são aqueles discos que você gosta no momento que seu gosto começa a melhorar, né? Pra mim foi o Surfer Rosa, do Pixies. Ali meu gosto começou a melhorar e depois voltou a ficar uma merda! (Risos)

 
Compartilhar