Gene Simmons, do KISS
   

KISS estava no meio de sua turnê de despedida, que até passaria pelo Brasil, quando a pandemia do novo Coronavírus tomou conta do mundo.

A banda pode até já ter remarcado as apresentações por aqui para Novembro, mas é bom os fãs não criarem tanta expectativa e saber que essas datas estão condicionadas a vários fatores, pelo menos de acordo com Gene Simmons.

Em entrevista ao programa Good Morning L.A. (via Whiplash), Gene revelou que a banda só vai voltar a tocar quando “estiver seguro” ou “quando houver uma cura”, e também reforçou a importância de deixar a saúde em primeiro lugar:

Nós vamos voltar quando estiver seguro, quando houver uma cura. Nunca colocaríamos nossos fãs em perigo, ou nós mesmos. Podemos falar sobre os grandes números, os bilhões de dólares perdidos. Os ricos, famosos e bonitões, que usam roupas bobas como essa que estou usando… bilhões de dólares pelo ralo. E daí? Estamos falando de mães solteiras e famílias que vivem a cada salário recebido. As pessoas que realmente fazem esses shows, como seguranças, a equipe de turnê, tudo isso… é questão de sobrevivência. As pessoas dentro da infraestrutura de shows e no entorno dela são as que mais estão sofrendo.

Você pode ver a conversa na íntegra pelo vídeo abaixo.

LEIA TAMBÉM: Lars Ulrich fala com incerteza sobre shows do Metallica no Brasil

KISS e o Coronavírus

Vale lembrar que o posicionamento de Simmons parece estar bem alinhado com o de Paul Stanley. O companheiro de banda tem defendido a quarentena e chegou a dizer que “idiotas” que furam o isolamento comprometem as vidas de todos, e também defendeu os profissionais de saúde e o fim da polarização política.

Gene ainda garantiu na entrevista que o KISS está fazendo sua parte e deixou um recado à população pouco afetada pela doença:

Acabei de mandar um bom cheque para um hospital infantil aqui em Los Angeles porque temos não apenas crianças sofrendo com isso – temos crianças também lutando contra o câncer. Não temos nada para reclamar. Vivo dizendo: pare de reclamar. Há coisas terríveis acontecendo por aí. Pessoas estão perdendo suas vidas. Estamos nessa juntos.

   
 
Compartilhar