Vacina contra o novo Coronavírus
 

Parece que finalmente temos uma luz no fim do túnel quando o assunto é a pandemia do novo Coronavírus.

A Universidade de Oxford (Inglaterra) está desenvolvendo uma vacina contra o vírus que causa a COVID-19 e está crente de que ela estará “amplamente disponível” no mês de Setembro.

De acordo com matéria da CBS News, o laboratório de Oxford partiu de trabalhos que já havia desenvolvido com vírus semelhantes ao novo Coronavírus no passado, o que os colocou à frente na corrida.

Ao falar a respeito do assunto, a professora de vacinologia da Universidade, Sarah Gilbert, afirmou:

Pessoalmente eu tenho um alto nível de confiança em relação a essa vacina porque ela usa tecnologias que eu já usei anteriormente.

Vacina Contra o Coronavírus

A vacina é fabricada a partir de material genético do Coronavírus injetado em um vírus da gripe comum que foi neutralizado para não ser espalhado para outras pessoas.

Dessa forma, o vírus modificado irá “imitar” o causador da COVID-19, fazendo com que o sistema imunológico de cada ser humano lute contra o inimigo enfraquecido, criando defesas para quando for infectado “de verdade”.

Há relatos de que a vacina (ainda experimental) funcionou ao ser testada em macacos e testes em seres humanos já estão sendo conduzidos.

Ainda de acordo com a reportagem, uma cientista de Oxford chamada Elisa Granato, que se voluntariou para os testes, disse que sente como se “finalmente pudesse fazer alguma coisa” e que ela decidiu testar a vacina pois “é uma forma de contribuir com a causa”.

O relato termina dizendo que uma das maiores empresas farmacêuticas do planeta, baseada na Índia, já irá começar a produzir milhões de vacinas de Oxford em Maio, mesmo que elas ainda não tenham sua eficácia comprovada.

Vale lembrar, também, que possivelmente as agências reguladoras de cada país teriam que aprovar a vacina em caráter emergencial.

Entretenimento e o Novo Coronavírus

Vale sempre lembrar que a indústria do entretenimento foi uma das mais atingidas com a pandemia.

Por conta do isolamento social e da quarentena, grandes shows, turnês e festivais foram cancelados ou adiados no mundo todo, causando um impacto sem precedentes para a música global.

Ontem mesmo publicamos aqui uma matéria sobre como Lars Ulrich, baterista do Metallica, se mostrou pessimista quanto à realização dos shows da banda no Brasil em Dezembro.

Em outro post, falamos sobre como 60% dos americanos disseram que só voltariam aos shows após a criação de uma vacina contra o Coronavírus.

Será que Setembro chegará com uma salvação?

LEIA TAMBÉM: especialista diz que “na melhor das hipóteses”, shows voltam no segundo semestre de 2021

 
 
Compartilhar