Manu Gavassi

O empresário da cantora Manu Gavassi, Felipe Simas, falou sobre a estratégia que eles adotaram para gerenciar a carreira da artista.

Em um post nas redes sociais ele falou sobre a decisão dela de entrar no Big Brother Brasil, que termina nesta segunda-feira, dia 27. Manu é uma das finalistas.

Felipe cuida da carreira de Manu Gavassi desde 2016 e contou que, desde então, já tinha a intenção de colocá-la num reality show, com o objetivo de fazer o Brasil inteiro conhecer a figura com senso de humor peculiar e gosto estético apuradíssimo que ela é.

Há quatro anos, preocupada com sua exposição, Manu sugeriu então para Felipe um scripted reality, ou seja, um reality roteirizado, e levou como referência para ele um programa americano estrelado por Nicole Richie, filha do cantor Lionel Richie, chamado Candidly Nicole.

Segundo o empresário, Manu chegou a viajar para Miami para uma reunião com uma emissora que ia bancar o projeto, mas ele acabou não vingando. E então, aqui no Brasil mesmo, eles gravaram alguns episódios de websérie “Garota Errada”, um produto auto ficcional criado, roteirizado e estrelado por Manuela.

Para Felipe, o projeto deu certo e foi bem recebido, porém, para um público segmentado. “Faltava o alcance de massa que tanto a gente buscava. Essa visada superexposição parecia uma equação difícil de solucionar,” escreveu.

No ano passado, quando Manu recebeu o convite para participar do BBB, Felipe disse que a reação dela foi de estranhamento, mas que ele simpatizou com a ideia e contou com a ajuda de outras pessoas para convencê-la a entrar no reality.

O contrato com a Rede Globo foi assinado em 23 de dezembro de 2019 e foi nesse dia, no voo para o Rio de Janeiro, que Manu contou para Felipe sobre um “plano mirabolante” de vida paralela fora da casa, que são os vídeos postados nas redes sociais de Manu Gavassi diariamente.

Ele finaliza a publicação definindo a artista, que ele chama de Madonninha, como uma pessoa que pensa a própria carreira de forma holística e transita com igual desenvoltura pela música, cinema, TV, literatura, dramaturgia e moda.

Continua após o vídeo

View this post on Instagram

Ouvi no murmuro desse primeiro vídeo uma frase completa. Entendi ali um “deu tudo certo, Felipe”. Já tinha dado desde a primeira semana, e foi dando cada vez mais ao longo do programa. Agora, na reta final, a ficha caiu pra ela. Há quatro anos, quando eu e Manu fechamos uma parceria pra gerenciar a carreira dela, a primeira ideia que logo me veio à cabeça foi a de um Reality Show. Eu queria que o Brasil inteiro também tivesse a oportunidade de entender melhor aquela Manu que eu havia acabado de conhecer: Uma figura com senso de humor peculiar, gosto estético apuradíssimo, magnética e cheia das histórias pra contar. Cautelosa com a superexposição que um Reality traria, Manu me contrapropôs um Scripted Reality (um Reality roteirizado). A referência era ‘Candidly Nicole’, um programa americano estrelado pela filha do cantor Lionel Ritchie, Nicole Richie. Cheguei a manda-la pra Miami na tentativa de convencer o VP de uma emissora a bancar o projeto. Acabou não rolando e decidimos fazer por conta própria alguns episódios pra web de ‘Garota Errada’, uma série autoficcional criada, roteirizada e estrelada por ela própria. O projeto foi bem recebido por um público de nicho, mas ainda faltava o alcance de massa que tanto a gente buscava. Essa visada superexposição parecia uma equação difícil de solucionar. Deixamos pro Universo e ele jogou de volta esse convite pro BBB. De início, soou estranho. “Você é louco?”, foi a reação dela quando sinalizei simpatia com a ideia. Tratei de ligar pra Mari Madjarof: “Mari, me ajuda a convencer a Manu”. Missão dada, missão cumprida. Dia 23 de dezembro, véspera da véspera de natal, fomos eu e Manu pro Rio assinar o contrato com a Globo. Durante o voo ela foi me contando todo o mirabolante plano de vida paralela do lado de fora da casa com os vídeos da série no instagram. Manu, Manuzita, Manuzinha pra uns. Madonninha pra mim. Esse é o apelido que dei pra ela lá em 2016 quando fizemos nossa primeira turnê juntos. A Manu/Madonninha é a artista que pensa a própria carreira de forma holística e transita com igual desenvoltura pela música, cinema, tv, literatura, dramaturgia e moda.

A post shared by F/SIMAS (@simasfelipe) on

Depois do BBB, Manu já tem vários projetos engatilhados: a série “Garota Errada” e um talk-show, que já estão em negociação no mercado, e uma adaptação de seu livro “Olá, Caderno” (2017) para o cinema. Aliás, segundo Felipe, ela também já recebeu convites para participar de dois filmes, porém, as propostas serão analisadas por ela mesma.

Já a carreira como cantora alavancou e uma turnê agendada com datas a partir de junho por enquanto está adiada devido ao distanciamento social para combater a transmissão da COVID-19. Recentemente Manu alcançou o quarto lugar no Top 50 Social Charts da Billboard, ranking que mede a popularidade dos artistas do mundo inteiro nas redes sociais.

Além de Manu Gavassi, Felipe Simas também cuida da carreira do cantor Tiago Iorc e da dupla Anavitória.

Manu Gavassi no BBB

A cantora e atriz entrou no reality no time VIP, ou seja, de convidados da emissora e, no início, tinha um discurso de que aceitou participar do programa para se conhecer melhor. “Vim para um retiro espiritual”, afirmou diversas vezes durante o confinamento. Porém, no decorrer do jogo, Manu mudou sua postura e admitiu que não tinha como não se envolver nas questões da casa.

O próprio pai de Manu, o radialista Zé Luiz, chegou a dizer em seu programa na 89 FM A Rádio Rock e nas redes sociais, que eles torciam para a filha passar pelo menos pela primeira semana de jogo.

A trajetória da artista no BBB se destaca por sua parceria com as outras mulheres, diante de episódios que envolveram situações de machismo, e por desentendimentos que ela teve com os participantes Victor Hugo e Felipe Prior. O segundo, inclusive, foi derrotado por Manu e por Mari Gonzalez no maior paredão da história do Big Brother, que teve mais de 1,5 bilhão de votos.

Outro destaque de sua participação foi a coreografia para a música “Don’t Start Now”, de Dua Lipa, que ela fazia junto com as amigas em todas as festas da casa. A dancinha fez tanto sucesso que a própria cantora apareceu numa gravação cantando e mandando um recado para os participantes do jogo.

Aqui fora, os vídeos postados nas redes sociais de Manu se popularizaram e desencadearam redes de votação para sua permanência no confinamento, lideradas pela atriz Bruna Marquezine, uma de suas melhores amigas.

Logo nas primeiras semanas de programa, várias reportagens apontaram o sucesso de sua estratégia de gerenciamento de carreira, que incluiu a hashtag #WhoTheFuckIsManuGavassi? e posts direcionados para possíveis crises, como quando alguns jogadores de futebol fizeram campanha para que ela fosse eliminada, e ela surgiu na timeline cantando os hinos do Corinthians e do Flamengo.

Manu Gavassi disputa a final do BBB20 com a médica Thelma, única inscrita que chega ao último dia de programa, e a digital influencer Rafa Kalimann. O prêmio é de R$ 1,5 milhão.