Pink Floyd Dark side of the moon

Apesar de ser uma canção instrumental, “On the Run” se tornou uma peça icônica do clássico The Dark Side of the Moon, do Pink Floyd.

Grande parte disso veio devido ao timbre proveniente do EMS Synthi AKS, à época uma tecnologia recém-lançada que ia além do controle característico dos sintetizadores e oferecia um teclado embutido com um sequenciador. E, claro, caiu nas graças de músicos como os britânicos e outros com uma veia experimental, como Brian Eno Robert Fripp.

Em um vídeo publicado há algum tempo, um usuário do YouTube conseguiu recriar de forma praticamente perfeita o icônico tema da música. O resultado é bem surpreendente, já que de início tudo soa muito diferente mas vai tomando forma com o tempo. Confira a seguir!

EMS Synthi AKS e “On the Run”

No DVD em que contam os bastidores do processo de composição de seu disco mais bem-sucedido, os membros do Pink Floyd contam sobre como foi fazer “On the Run”. Mais especificamente, David Gilmour é quem entra em detalhes:

Se você já ouviu algum dos ‘bootlegs’ de gravações ao vivo, você deve ter ouvido uma versão diferente dela [‘On the Run’] do que a que está no ‘Dark Side of the Moon’. Nós tínhamos meio que uma passagem com guitarras, mas não era muito boa. Nós tínhamos acabado de receber esse novo sintetizador, um modelo de maleta EMS-1 [Synthi AKS], e na tampa havia uma espécie de sequenciador. Eu estava brincando com esse dispositivo de sequenciamento, e surgiu esse som, que é o som básico dela. O Roger [Waters] meio que ouviu, veio e começou a brincar com ele também. E aí foi ele quem colocou as notas que fizemos… era a sequência dele, aquele ‘de-di-doo-de-di-dil’ — ou o que quer que seja. Ele que inventou essa sequência, mas eu tinha feito o som original e eu era quem estava controlando o sintetizador no take que usamos. Aí jogamos todo tipo de coisa por cima depois.

Relembre a versão original do álbum logo abaixo!