Netflix
Foto via Flickr
 

A Netflix cresceu mais que o dobro do que esperava durante o distanciamento social para combater a pandemia do novo coronavírus. Os números divulgados pelo CEO da empresa, Reed Hastings, são do primeiro trimestre de 2020.

De acordo com ele, quase 16 milhões de pessoas assinaram o serviço de streaming entre janeiro e março deste ano, fazendo a companhia chegar aos 183 milhões de clientes ao redor do mundo. Anteriormente, a expectativa da Netflix para esse período era de 7 milhões de novos usuários.

Num comunicado, Hastings afirmou que, além do crescimento de assinaturas, houve também aumento no número de visualização das produções, porém, sem especificar de quanto foi esse aumento.

Apesar disso, ele também mostrou-se preocupado com a situação que vivemos e lamentou os reflexos da COVID-19:

O coronavírus atingiu todos os cantos do mundo e na ausência de tratamento ou vacina generalizada, ninguém sabe como ou quando essa terrível crise terminará. O que está claro é o custo em termos de vidas perdidas e empregos perdidos, com dezenas de milhões de pessoas agora sem trabalho.

Netflix

A empresa divulgou ainda quais são os títulos mais vistos deste período de distanciamento: A Máfia dos Tigres, que bateu um recorde de Stranger Things recentemente, e La Casa de Papel, que liberou sua quarta temporada no início de abril.

A primeira produção é baseada em fatos reais e conta a história de Joe Exotic, dono de um zoológico e artista country frustrado, acusado de encomendar o assassinato da ativista animal Carole Baskin.

E a segunda é a continuação de uma das séries de maior sucesso da história da Netflix, que mostra o desenvolvimento do segundo grande assalto de um grupo de jovens que conseguiu se safar de um roubo a Casa da Moeda da Espanha, mostrado nas duas primeiras temporadas.

Pelo menos uma quinta (e talvez até uma sexta) remessa de episódios deve ser lançada no futuro para mostrar o fim desta história que não foi concluída. A Netflix, porém, ainda não divulgou a renovação de La Casa de Papel, pois está com todas as suas produções paradas ao redor do mundo, justamente por causa da pandemia que estamos enfrentando.