David Ellefson, baixista do Megadeth
Foto via Wikimedia Commons
 

A situação do coronavírus não está fácil para ninguém, mas David Ellefson, baixista do Megadeth, quer ajudar os aspirantes a músicos.

Ele reuniu uma série de companheiros de profissão, inclusive dois de seus companheiros de banda, o guitarrista brasileiro Kiko Loureiro e o baterista Dirk Verbeuren, para uma iniciativa sensacional: oferecer aulas grátis por meio de vídeos.

A ideia é formar uma base de dados em sua fundação Ellefson Youth Music Foundation e lançar o projeto “School’s Out”, que conta com parcerias com empresas como CISCO e Dolby para implementar as melhores tecnologias de gravação aos músicos e acesso aos alunos.

Completam a lista já divulgada Frank Bello (Anthrax), Nita Strauss Jimmy Degrasso (Alice Cooper), Ron “Bumblefoot” Thal (Sons of Apollo, ex-Guns N’ Roses),  Chris Kael (Five Finger Death Punch), Ra Diaz (Suicidal Tendencies), Marc Rizzo (Soulfly), Chad Szeliga (Black Star Riders, ex-Breaking Benjamin), Phil Demmel (Echoes of Reckoning), Clint Lowery (Sevendust), Brandan Schieppatti (Bleeding Through),  Dave McClain (Sacred Reich), Thom Hazaert (Ellefson), Alex Snowden Sydney Dolezal (Doll Skin), Terry Ilous (XYZ) e Shani Kimelman (Cirque du Soleil/Michael Jackson’s ONE). O baixista ainda promete outros artistas futuramente.

David Ellefson e as aulas grátis de música

A organização de David geralmente tem como objetivo manter o ensino de música nas escolas. Porém, com as atuais circunstâncias, surgiu a ideia do “School’s Out” (“Acabou a Escola”, em tradução livre), como conta o co-diretor e músico Thom Hazaert:

David e eu estávamos pensando em formas de devolver à comunidade durante a epidemia da COVID e colocar alguma positividade por aí em uma época de crise e incertezas sem precedentes. A missão da nossa fundação é tentar ajudar a música a continuar nas escolas, mas o que acontece quando as crianças não podem ir à escola? Enquanto estou sentado em casa com meus dois filhos inquietos, basicamente em exílio forçado, meio que me atingiu.

Nós começamos a falar sobre o David fazer algumas aulas online com as crianças, através da fundação, e aí chegamos à ideia de recrutar alguns dos nossos outros amigos também. Aí falamos com nossos amigos do Grammy, e realmente ganhou uma nova vida, virou uma iniciativa massiva.

Participar, no entanto, não é tão fácil assim. É necessário preencher uma inscrição, e só são aceitas pessoas com menos de 18 anos de idade — mas, ao que tudo indica, não há nenhuma limitação por país. Você pode acessar a ficha pelo site oficial do projeto.