John Prine
Foto: YouTube

John Prine está internado em estado crítico, possivelmente com o Coronavírus.

Aos 73 anos de idade, a lenda norte-americana da música country teve sintomas da COVID-19 e teve que ser rapidamente internada em um hospital, onde foi levada à unidade de terapia intensiva.

Há menos de uma hora, a conta oficial de John Prine no Instagram publicou uma mensagem da sua família sobre o estado do músico e não teve medo de dizer que as notícias não são das melhores:

Após uma repentina aparição dos sintomas da Covid-19, John foi hospitalizado na quinta-feira (26/03). Ele foi intubado na manhã de Sábado e continua a receber cuidados, mas a situação é crítica.

Essas notícias são duras para que nós compartilhemos. Mas tantos de vocês amaram e apoiaram John ao longo dos anos, que gostaríamos de deixá-los cientes e gostaríamos que vocês mandassem mais desse amor e apoio agora. E saibam que nós amamos vocês, e que o John ama vocês.

A Influência de John Prine

Não há dúvidas de que Prine é um dos autores mais influentes de sua geração, tendo causado impacto em nomes considerados como verdadeiras relíquias da música mundial.

Descoberto por Kris Kristofferson, lançou seu primeiro disco de estúdio em 1971 e o álbum homônimo foi celebrado como um dos melhores daquele ano pelo público e pela crítica.

Conhecido por contar causos da sua vida misturados tanto a traços de humor quanto a críticas sociais, ele chamou a atenção de gigantes como Bob Dylan, que disse em 2009 que John era um dos seus compositores favoritos, destacando a canção “Sam Stone”, que segundo ele, “só poderia ser feita por alguém como Prine”.

Um ano antes, em 2008, Roger Waters foi questionado em uma entrevista sobre como enxergava novas bandas britânicas e se via traços do Pink Floyd em nomes como o Radiohead, e disse:

Eu não ouço muito Radiohead. Eu ouvi os discos e eles simplesmente não mexeram comigo como, digamos, John Prine mexe. A música dele é extraordinariamente eloquente – e ele está no mesmo plano de Neil Young e [John] Lennon.

Outro nome de porte que elogiou John Prine foi Johnny Cash, que em sua autobiografia escreveu:

Eu não ouço muita música na fazenda, a não ser que comece a entrar no modo de composição e precise procurar por inspiração. Aí eu coloco algo dos compositores que eu admirei e usei todos esses anos — Rodney Crowell, John Prine, Guy Clark e o saudoso Steve Goodman formam o meu ‘Big Four’.

Desejamos recuperação a John e não se esqueça: fique em casa.

LEIA TAMBÉM: Alan Merrill, autor do clássico “I Love Rock And Roll”, morre vítima da COVID-19