HRVY
Foto: Divulgação
 

O mundo tecnológico está em constante mudança. Do dia para a noite, são criadas dezenas de ferramentas que visam facilitar a vida humana. Algumas delas ganham destaque e em pouquíssimo tempo já são consideradas essenciais para a nossa vivência digital. Hoje, quem não tem uma conta em plataformas como Facebook, Instagram ou Twitter chega até a ser olhado torto por uma parte da população.

Além do lado social da coisa, as mais diversas indústrias começaram a entender o potencial do mundo digital em seus negócios. Isso incluiu a indústria fonográfica. O número de seguidores passou a ser um padrão alternativo de sucesso. Tome como exemplo a influência de nomes como Ariana Grande e Selena Gomez não apenas por conta de suas carreiras musicais, mas também diante de sua presença digital. São novas métricas que influenciam (e muito) a atual indústria.

A nova geração de artistas já tem esse pensamento consolidado. A postagem de conteúdos em redes sociais, por exemplo, faz parte da rotina de trabalho do britânico HRVY (lê-se Harvey, seu nome de nascimento).

Com quase 5 milhões de seguidores no Instagram, o cantor e compositor usou as novas plataformas para alcançar um número cada maior de pessoas com as suas músicas. Sem ter lançado um disco sequer (pelo menos ainda), ele tem feito um ótimo trabalho com a divulgação de vídeos e, mais recentemente, EPs e singles.

 

“Graças a essas ferramentas, estou onde estou hoje”

Recentemente, HRVY lançou seu mais novo single, intitulado “Me Because of You“. A música foi inspirada em comentários de um fã em seu Instagram. A faixa comprova o forte potencial do britânico para se tornar uma grande estrela pop.

Ele conversou conosco sobre a nova canção, suas inspirações e sobre a cada vez maior facilidade que um artista tem de entrar em contato com seu público. Confira abaixo o clipe oficial da faixa, tal como a entrevista na íntegra:

TMDQA!: Recentemente, você lançou a canção “Me Because of You”, que foi baseada em um comentário de um fã em seu perfil no Instagram. Você pode nos contar um pouco mais dessa história? Como um simples comentário inspirou você a escrever uma música inteira?

HRVY: Sim, foi tudo baseado em um comentário no meu Instagram. Não lembro exatamente de quem era, mas foi comentado em uma das minhas publicações e aquilo me marcou. Me despertou inspiração. Foi algo muito marcante e serviu como base para escrever a primeira parte da letra. Começou como uma linha, e de repente eu já tinha o refrão inteiro de forma intuitiva. Chegou a ser fácil, e ela me ajudou muito. A galera que trabalha comigo, produtores e compositores, gostaram tanto quanto eu gostei. Terminamos a música no dia seguinte e eu adorei essa experiência. Procurei depois pelos responsáveis por tudo isso, mas não consegui encontrá-los.

TMDQA!: Então foi algo perfeitamente natural. Que incrível a possibilidade de ter essa conexão com os fãs!

HRVY: Foi completamente natural, cara! É muito interessante ter uma música que não apenas foi inspirada por seus fãs, mas que também foi originada por eles. Foi a primeira vez que isso aconteceu comigo.

TMDQA!: Você acha que essa fã, aonde quer que esteja, tem conhecimento de que você escreveu uma música baseada em algo que ela disse? Eu adoraria ter uma música baseada em algo que eu disse, por exemplo (risos).

HRVY: Espero que as pessoas que me inspiraram tenham pegado a referência e se reconhecido na letra. Não consegui achá-los especificamente no Instagram, mas não vou descansar até conseguir encontra-los (risos).

 

“As redes sociais são parte do meu trabalho”

TMDQA!: É muito interessante ver que o relacionamento entre um artista e seus fãs mudou bastante com todas as possibilidades das novas mídias. Sendo uma estrela musical em ascensão nesses tempos digitais que vivemos, como você concilia tudo isso para beneficiar sua carreira? Você tem quase cinco milhões de seguidores, e ter esse número todo é certamente algo muito positivo para uma carreira artística.

HRVY: Eu adoro as mídias sociais. Posto vídeos o tempo todo e, graças a essas ferramentas, estou onde estou hoje. Alguns olham as redes sociais como se fosse uma coisa ruim, mas para mim tem sido incrível! Isso aproxima o artista de seus fãs. Assim eu consigo conversar com pessoas de diferentes partes do mundo, o que era algo impensável há certo tempo. É muito mais fácil para mim conversar e me conectar com eles via redes sociais. Faz com que eu sinta como se fôssemos velhos amigos. É bom porque você consegue notar melhor seu público. Sem falar que as redes sociais são parte do meu trabalho e me ajudaram bastante. Eu uso Youtube o tempo todo, escuto música nas plataformas de streaming, uso o Tik Tok

TMDQA!: Sem falar que as redes certamente ajudaram você a alcançar seguidores de todos os cantos do mundo. Você deve ter vários fãs brasileiros também, certo?

HRVY: Eu amo o Brasil! Eu adoraria ir aí o quanto antes! Espero isso genuinamente.

TMDQA!: Como é ser considerado um grande candidato a ser a próxima grande estrela do pop? Como você se sente em relação a isso? Acredito que exista uma certa pressão em ouvir uma afirmação dessas. Essa situação me remete um pouco à de nomes como Justin Bieber e Billie Eilish, que, mesmo muito novos, já tinham uma base grande de fãs e estavam sob os holofotes da indústria.

HRVY: Alguns já me disseram isso e é realmente algo muito bom de se ouvir. Existe, sim, essa pressão porque você sente que precisa entregar um trabalho de uma grande popstar. Os comentários me incentivam a querer mais de mim. Eu acredito no meu potencial e ponho pressão em mim para ser o melhor que eu consiga, obviamente sem soar arrogante. Sou muito grato pelo amor de todos e espero que eu consiga superar as expectativas de todos. Vou ser a próxima Billie Eilish (risos)! Ela é ótima e é uma artista muito inspiradora. Espero algum dia fazer uma colaboração com ela. Nunca se sabe.

 

“Adoro fazer coisas diferentes”

TMDQA!: Para você, qual é o seu diferencial? O que mais contribuiu para fazer de você uma artista de sucesso?

HRVY: Boa pergunta! Acho que eu tento ser eu mesmo e não estar muito preocupado com o que pensam. Eu não tento ser o legalzão. Sou, literalmente, apenas uma pessoa normal que faz música, e talvez algumas pessoas gostem disso. Além disso, eu amo música, e acho que isso também faz com que as pessoas tenham empatia comigo. Sei que muitos são sinceros consigo mesmos, mas acabam não tendo a mesma sorte que eu tive. Mas a dica que eu dou é para ser você mesmo. É assim que faço!

TMDQA!: Você lembra de algum momento específico em que percebeu seu talento musical?

HRVY: Sim. Foi quando postei meu primeiro vídeo no Facebook. Eu tinha entre 14 e 15 anos, e as pessoas começaram a me incentivar, dizendo que eu tinha que considerar a carreira musical. Isso me motivou a pensar “Quer saber? Sou bom nisso”. A crescente quantidade de visualizações me motivou a ter esse gás também.

TMDQA!: Você integra uma nova cena pop da música britânica cuja visibilidade tem crescido rapidamente. É muito interessante procurar conhecer as peculiaridades da música boa que está sendo feita em cada país, e uma quantidade crescente de pessoas está, aos poucos tendo acesso a tudo isso.

HRVY: Concordo completamente! A música, de uns anos para cá, abriu várias portas. Também temos mais colaborações em diferentes linguagens, mostrando o contato entre diferentes culturas. Recentemente, fiz uma colaboração com o grupo coreano NCT Dream e foi incrível! Também já gravei com a artista cubana Malu Trevejo em 2018. Gosto de ver que o mundo musical tem ficado mais colorido. Ter acesso ao trabalho desses artistas internacionais também é algum que me ajudou muito a minha carreira e o meu modo de compor. Adoro fazer coisas diferentes!

 

Em breve no Brasil?

TMDQA!: Por falar em composições, que artistas e gêneros musicais mais inspiram o seu trabalho?

HRVY: Majoritariamente, a música pop é o que mais me inspira. Eu amo Billie Eilish, Shawn Mendes… Costumava ouvir muito Justin Timberlake quando era menor e ainda ouço. Gosto muito da R&B voltada ao pop.

TMDQA!: O nome do nosso site tenta traduzir o relacionamento próximo e íntimo que uma pessoa pode ter com a música. Tratamos alguns discos como se fossem nossos amigos. Levamos eles para onde for, não importa o contexto. Tem algum disco específico que você sempre tem em mente, seja fisicamente ou em streaming? Que lançamentos você consegue classificar como amigos?

HRVY: Atualmente, tenho ouvido muito o When We All Fall Asleep, Where Do We Go?, da Billie Eilish. Eu acredito muito no poder de um álbum, e esse disco tem muito disso.

TMDQA!: Alguma consideração final?

HRVY: Quero dizer que pretendo ir para o Brasil em breve! Espero que seja ainda este ano! Quero entrar em turnê e progredir com novas músicas, que pretendo lançar em breve!

 
 
Compartilhar