Roberto Carlos em seu cruzeiro, 2019
Foto de Roberto Carlos via Shutterstock
 

Há algum tempo o icônico cantor brasileiro Roberto Carlos vem baseando a sua carreira em cruzeiros temáticos.

O mais recente deles se chama “Emoções em Alto Mar” e no último sábado (15), o “Rei” embarcou na navegação no Rio de Janeiro, mas antes parou para conversar com a imprensa sobre alguns assuntos.

Chegando em um Cadillac vermelho, Roberto teria falado sobre o governo do atual presidente da república, Jair Bolsonaro, e feito uma série de elogios, como informa a Folha:

Acho que o Bolsonaro é muito bem-intencionado. Ele tem tido muita dificuldade com o pessoal em volta dele. Mas acho ele bom e já tem conseguido algumas coisas. Vamos torcer pelo país, que está na mão dele.

Em outra publicação, do F5, a Folha diz que ele ainda elogiou Sérgio Moro e Paulo Guedes, mas disse que Bolsonaro “está tendo dificuldades em realizar o que propôs”, e que “torce para o Brasil”, então torce para que ele consiga fazer o que imaginou.

Roberto Carlos, BBB, Regina Duarte e Glória Maria

No mesmo papo, Roberto ainda disse que conversou com Glória Maria assim que ela saiu de uma cirurgia recente para tirar um tumor no cérebro, e falou que ama a apresentadora, “uma grande amiga”.

A respeito das declarações recentes de Paulo Guedes, responsável pela Economia do governo Bolsonaro, ele disse que seriam “boas para a economia” de Cachoeiro de Itapemirim, cidade “simples mas muito atraente”.

Guedes falou que os brasileiros precisavam parar de sonhar em ir pra Disney e frequentar cidades daqui como o município do Espírito Santo onde Roberto nasceu.

O artista de 78 anos de idade também foi questionado a respeito das polêmicas no reality show “Big Brother Brasil” e foi evasivo:

Estou assistindo algumas coisas, sim. Mas não vejo todos os dias porque tenho trabalhado muito. Não acompanhando, fica meio difícil opinar. Mas que vença o melhor.

Ao falar sobre a nova Secretária de Cultura, Regina Duarte, ele avisou que apoia totalmente a sua amiga e tem plena confiança nela. Disse ainda que não aceitaria o cargo porque precisa “compor e cantar”.

A parte de “compor”, aparentemente não está muito ativa, porém. O último disco de Roberto Carlos é Roberto Carlos (2005), repleto de regravações. Seu último trabalho de inéditas é o álbum Pra Sempre, lançado em 2003.

 
Compartilhar