Em 2007, a banda Two Door Cinema Club foi formada em County Down, na Irlanda do Norte. Talvez nem mesmo o trio, formado por Alex Trimble (vocais), Kevin Baird (guitarra) e Sam Halliday (baixo), imaginava o sucesso que faria e o status que teria pouco mais de uma década depois. Mas temos que lembrar que toda essa fama se deve a um carismático lançamento que conquistou a cena. Estamos falando do disco de estreia Tourist History, que completa 10 anos de lançamento hoje (17 de Fevereiro).

Lançado em meio a discos de grupos consagrados como Arcade Fire, The Black Keys, LCD Soundsystem, The National e Deftones, era de se esperar que a banda não fosse impactar tanto. Ainda bem que não foi o que aconteceu! Produzido por Eliot James (que também já trabalhou com Bloc Party e Kaiser Chiefs), o álbum hoje é lembrado como o mais impactante da banda.

 

Um ótimo disco que passou despercebido pela Billboard

Todo mundo erra, inclusive um dos termômetros mais utilizados pela indústria fonográfica. Por conta das baixas vendas iniciais, Tourist History nem apareceu na Billboard em sua seleção com os 200 lançamentos mais quentes, atualizada semanalmente.

Mas não foi timing ruim nem nada do gênero. A TDCC, assim como grupos como Kasabian, Kaiser Chiefs e The Kooks, faz parte de um movimento musical conhecido como “indie landfill” (aterro indie, em tradução livre). Ganhando força a partir do fim da década de 2000, passaram a surgir cada vez mais bandas indies, mesmo diante do movimento de dominância do pop e da música eletrônica sobre a estética da guitarra. Apesar do cenário desfavorável, tais grupos, que souberam muito bem mesclar o indie com elementos da música pop dominante de então, conseguiram desempenho comercial significativo. Não à toa, The Suburbs, disco lançado pelo Arcade Fire no mesmo ano, conquistou o Grammy de Álbum do Ano.

A Two Door se inspirou nesse movimento para conquistar fãs ao redor do mundo com sonoridade dançante e pop que não deixa de lado a naturalidade de linhas de baixo e de guitarra. Isso fica claro no disco inteiro, mas especialmente nos singles.

 

“And I can tell just what you want…”

Two Door CInema Club
Foto: Divulgação

A vibe dançante do grupo foi como se fosse um delicioso mel para DJs de festas alternativas ao redor do mundo. Isso ajudou e muito a espalhar a palavra do Two Door Cinema Club por aí.

A divulgação (pesadíssima) começou obviamente antes do lançamento do disco. Em 2009, a banda lançou as ótimas “Something Good Can Work” e “I Can Talk“. Na mesma semana do lançamento do disco, foi a vez de “Undercover Martyn” virar single, sucedida por “Come Back Home“, em paralelo à cada vez maior visibilidade na cena indie. Mas existia ali, em meio às 10 dançantes canções, uma que ainda não tinha atingido todo o seu potencial. Obviamente estamos falando de “What You Know” (e daquele clipe maravilho que a canção ganhou)!

Quinto e último single do disco, a faixa foi a primeira obra da banda a ser notada pela Billboard. Esteve entre as 40+ das paradas de Alternative Songs e Hot Rock Songs. A faixa também ganhou certo espaço na cultura popular, marcando presença em propagandas televisivas, programas de televisão e até trilhas de videogames.

 

Após o lançamento

Em relação à crítica, o disco se saiu relativamente bem. De acordo com o Metacritic, o disco acumula uma nota de 67/100, baseada em 12 resenhas.

Isso deu gás para o grupo seguir na ativa. Após Tourist History, o grupo lançou, dois anos depois, o também elogiado (até mais do que o antecessor) Beacon. Em 2016, foi a vez de o grupo investir em um som menos pop e mais experimental com o disco Gameshow. O lançamento mais recente do grupo até então foi False Alarm, lançado ano passado.

E aí? O que acha deste álbum? Deixe sua opinião nos comentários e dance conosco enquanto relembramos esses hits!

 
 
Compartilhar