Michael Eavis na Worthy Farm
Foto via NME
 

Há 50 anos o Led Zeppelin fazia um show na Inglaterra, no Bath Festival of Blues e, embora possamos imaginar que a plateia inteira estivesse hipnotizada com o show dos caras, provavelmente ninguém esperava que dali sairia a inspiração para que Michael Eavis, que assistia ao show com sua esposa Jean Hayball, criasse o que hoje é um dos maiores festivais de música do mundo, o Glastonbury.

Eavis voltou para casa e no ano seguinte organizou um festival na Worthy Farm – fazenda que havia herdado de seu pai 15 anos antes.

Afinal, por que não?

Michael Eavis

Athelstan Joseph Michael Eavis (é isso mesmo, fãs de Vikings – vocês leram certo) é um fazendeiro nascido e criado no interior da Inglaterra mais conhecido por ser o fundador do festival de Glastonbury. Fruto de uma forte criação cristã, Eavis também atua politicamente defendendo os direitos trabalhistas no seu país e já foi presidente da Câmara de Comércio de Somerset, cidade onde nasceu.

Infelizmente, Jean Hayball, sua esposa que participou de todo o processo criativo do que viria a ser o Glasto, faleceu vítima de câncer. Hoje em dia, Michael – que já tem 84 anos e venceu a luta contra a mesma doença, organiza o festival junto com a filha do casal, Emily Eavis.

Emily fica principalmente à frente da contratação de artistas para compor o line-up e já retratou a dificuldade que encontra por ser mulher em um meio composto majoritariamente por homens, que muitas vezes insistem em tratar diretamente com seu pai: “Eu vou para reuniões com mesas compostas somente por homens. Alguns são ótimos, mas outros se recusam a aceitar que têm que lidar comigo” – disse Emily à BBC, como conta esta reportagem do The Guardian.

Festival de Glastonbury

O gigante festival de Glastonbury coleciona nomes como David Bowie, Oasis, Johnny Cash, Nine Inch Nails, Coldplay, Manu Chao, Fatboy Slim e vários outros artistas na lista dos que já subiram nos palcos da fazenda. Sua primeira edição chamava-se Pilton Pop, Blues & Folk e aconteceu em 19 de Setembro de 1970, um dia após a morte do grande Jimi Hendrix, contando com a clássica banda inglesa The Kinks como headliner num evento onde os ingressos custavam apenas 1 libra e teve um público de 1.500 pessoas.

A edição de 2010 foi bem especial, tendo em vista a comemoração de 40 anos de Glastonbury, e Stevie Wonder fez da sua participação ainda mais importante quando decidiu convidar Michael ao palco para cantar “Happy Birthday” junto com ele para milhares de pessoas.

Separamos este trecho em vídeo e você pode assistir logo abaixo:

 

Audiência e Público

E se começou com 1.500 pessoas na primeira edição, o evento rapidamente tomou corpo e cresceu a cada nova edição.

Para ter uma ideia, o segundo festival em 1971, com David Bowie, teve 12.000 ingressos vendidos, mesmo número da edição de 1979.

Em 1981, com o Hawkwind, foram 18 mil pessoas, em 1982, 25 mil para ver Van Morrison como headliner e em 1983, 30 mil.

A última edição rolou em 2019 após uma pausa em 2018 com The Killers, The Cure e Stormzy, e relatos conflitantes falam em 135 mil ou 203 mil pessoas.

Glastonbury 2020

Já te contamos antes que Paul McCartney está confirmado para o aniversário de 50 anos de festival na edição do ano que vem. A novidade é que, além dele, Taylor Swift e Diana Ross também garantiram seus shows no Palco Pirâmide – o principal do Glasto.

Embora haja sempre um mix de esperança e suspense sobre a possibilidade da participação do Led Zeppelin no Glastonbury, não temos dúvidas de que a organização do evento não medirá esforços para que a edição de 2020 seja ainda mais épica.

LEIA TAMBÉM: Liam Gallagher fala sobre reunião do Oasis no Glastonbury em 2021

 
Compartilhar