Planet Hemp prisão 1997
Reprodução/Instagram

Já se passaram 22 anos da prisão do Planet Hemp, acontecimento que entrou para a história da música e da justiça brasileira.

No dia 9 de novembro de 1997, após se apresentarem em Brasília, os membros do grupo foram detidos pela acusação de apologia à maconha. A polícia e nomes conhecidos como o apresentador Luiz Carlos Alborghetti já estavam perseguindo e investigando o grupo há meses antes da prisão, tentando inclusive censurar suas canções e discos.

Foram cinco dias de cadeia e muitos protestos tanto a partir dos fãs quanto na classe artística. Neste sábado (9), o Planet Hemp relembrou a ocasião com uma imagem em seu Instagram onde os membros aparecem em uma das celas que ficaram.

A legenda diz:

09.11.2019: 22 anos da prisão em Brasília. 22 anos que colocaram a gente injustamente em uma cela e tentaram nos calar. ⁣⁣
⁣⁣
O que muita gente não entende até hoje é que o Planet Hemp é muito mais que uma banda que canta a favor da legalização da maconha. A gente faz música porque acredita que através da arte as pessoas podem ser livres.⁣⁣
⁣⁣
22 anos depois, fechando mais uma turnê pela Europa (hoje tem show aqui no Porto), a gente para pra escrever esse texto aqui e deixa pra vcs uma pergunta: o que efetivamente mudou de lá pra cá no nosso país? ⁣⁣
⁣⁣
Enfim, querem nos controlar, mas são todos descontrolados.

Nos comentários da publicação, Marcelo D2 ainda comentou que aquela cela foi a “cela boa”, e que a outra onde a banda ficou era “sinistra”.

Novo disco do Planet Hemp

A banda está trabalhando em um novo álbum, que deve chegar em 2020. Saiba mais clicando aqui.

 
Compartilhar