John Lydon trabalha em nova autobiografia
 

Uma boa qualidade dos seres humanos é entender seus limites. John Lydon, famoso sob o pseudônimo Johnny Rotten em seu tempo de Sex Pistols, parece estar respeitando os seus.

Seu último trabalho musical foi com o Public Image Limited. What the World Needs Now… já completou 4 anos de existência e o músico se vê pronto para abraçar uma nova espécie de turnê em 2020.

O músico anunciou uma turnê de 54 datas pelo Reino Unido em que irá, basicamente, conversar. Como o próprio site oficial coloca, “Lydon irá refletir sobre seus tempos de Sex Pistols, Public Image Limited, sua arte e sua história de vida em noites informais de conversa e perguntas da audiência”.

Além disso, a turnê servirá para promover seu novo livro. I Could Be Wrong, I Could Be Right (Eu Posso Estar Errado, Eu Posso Estar Certo, com nome inspirado na música “Rise”, do PiL) será vendido exclusivamente nesta turnê e será limitado a 5000 unidades numeradas e autografadas. Sobre o trabalho, John disse:

Eu posso ser um bosta. Eu posso ser um merda. Eu sou canhoto.

Então tá, né? Os ingressos para o papo com John Lydon – ou Johnny Rotten, como preferir – começam a ser vendidos no dia 28.

John Lydon

Em uma conversa com a Pitchfork, Lydon contou que virou cidadão dos EUA por “acreditar em Obama” e ainda chamou a administração Trump de “festa de monstros doidos e lunáticos”.

Pouco tempo depois, no entanto, o ícone punk parece ter dado uma amaciada em seu discurso. Ele chegou até a considerar o presidente americano um “possível amigo”. Esperamos que alguém consiga ir ao evento para tirar essa dúvida de vez!

LEIA TAMBÉM: Filme sobre os Sex Pistols desagrada banda punk: “não foi autorizado”