Sam Kiszka, baixista do Greta Van Fleet
Foto por Aline Krupkoski
Assista ao novo clipe de Bruno Chelles, Camila Zasoul e Natalhão!  

No primeiro semestre deste ano, o Greta Van Fleet estreou com o pé direito no Grammy Awards levando pra casa o prêmio de Melhor Disco do Rock com o EP From the Fires (2017). Mas parece que a comemoração do grupo não foi das mais animadas.

Em uma nova entrevista (via Alternative Nation), o baixista Sam Kiszka revelou que a premiação foi apenas “mais um dia no escritório” para a banda. Ao ser questionado sobre a declaração, Kiszka declarou:

Talvez já não estamos mais tão sensíveis, mas é apenas mais um dia no escritório, eu acho. É definitivamente uma honra estar lá porque eu penso que um Grammy, em particular, é algo que talvez te deixe ciente que você algo substancial no mundo da música. Eu acho que é pra isso que o Grammy serve.

Ao responder se a experiência de receber o prêmio mudou sua vida, o baixista mandou:

Talvez não. Eu acho que prefiro que um colega músico curta uma canção, ou alguém que precise de um pouco de esperança para sobreviver. Eu prefiro ter uma pessoa assim gostando de uma música nossa e passando por isso. Acho que isso é o mais importante no fim do dia.

O que estou dizendo é que essas premiações não são tão prestigiosas quanto as pessoas pensam que são. Mas acho que a música é na verdade sobre fazer a diferença na vida de alguém, sobre empoderar pessoas e trazer assuntos importantes à mesa, dar atenção a isso.

Greta Van Fleet

O primeiro disco de estúdio do grupo é Anthem of the Peaceful Army, de 2018, e o próprio Sam Kiszka já confirmou para a gente que o próximo álbum chega ainda este ano.