Hellbenders em estúdio
Foto: Divulgação/Facebook
 

Um dos nomes mais comentados e elogiados da cena stoner rock/hard rock de Goiânia, o quarteto Hellbenders finalmente e felizmente compartilhou novidades.

Três anos depois de lançar seu bem recebido álbum de estreia (Brand New Fear), o grupo surgiu em 2016 com Peyote, disco gravado no histórico estúdio Rancho de La Luna, de David Catching (Eagles Of Death Metal), por onde já passaram nomes como Foo Fighters, Queens Of The Stone Age, Kyuss e Mark Lanegan.

Já em 2017, a banda formada por Diogo Fleury (vocal e guitarra), Braz Neme (guitarra e vocais), Augusto Chita (baixo) e Rodrigo Andrade (bateria) lançou um álbum ao vivo de Peyote e, no ano seguinte, liberou “Easy/Low”, faixa em parceria com outro grande nome do rock goiano, Black Drawing Chalks.

Agora, depois de ter revelado no final do ano passado que estavam compondo em português para o seu terceiro álbum de estúdio, os caras confirmaram a informação na última terça-feira (16), aproveitando para divulgar que o disco já começou a ser gravado no Coruja Estúdio:

A gente acabou de compor nosso disco novo. Nem fizemos muito alarde porque nem sabíamos se ia rolar mesmo, várias incertezas na fita. Semana que vem já começamos o processo de gravação e logo menos tem disco novo. Um disco em português de rock grilado num momento singular na história do nosso país. Animadíssimos ❤️

Hellbenders no Rancho de La Luna

Enquanto o disco novo não sai, confira cenas das gravações de Peyote no videoclipe de “New Jam”: