Clipe de
Foto: Reprodução / Youtube

Muito se discute, há tempos, sobre a robotização de funções humanas. Há anos, os avanços tecnológicos têm contribuído para mudanças em nossas rotinas. Muitas delas, por sinal, dizem respeito ao universo da saúde.

Próteses de membros, aparelhos auditivos, lentes de contato e diversos remédios têm contribuído para a melhoria da vida de muitos. Mas a questão é: até que ponto esses apêndices tecnológicos contribuem positivamente para nosso cotidiano e até onde eles estão mudando a forma de se viver, nos aproximando de uma cada vez mais evidente dependência tecnológica?

Essa reflexão, de natureza bem “Black Mirror”, é exaltada no mais novo clipe de Edgar. Trata-se do vídeo para “Saúde Mecânica“, faixa presente em seu mais recente disco Ultrassom, lançado ano passado pela Deck.

 

O delírio de uma anestesia traduzido em imagens

Com direção de Dannyhell e imagens capturadas por Gustavo Egus, o clipe conta com uma estética psicodélica. As imagens, afogadas pelos mais diversos efeitos visuais, remetem a delírios do uso de remédios ou de anestesias, algo que foge da natureza humana.

Como a letra deixa claro, a tal saúde mecânica exalta o androide como um ser humano atual, como normalidade. O clipe ajuda a compreensão da letra ao mostrar que isso vai além da medicina e seus “apêndices”, indo até a questão da substituição da força braçal humana pela inteligência de softwares e hardwares.

Confira abaixo, com exclusividade do TMDQA!, o clipe novo de Edgar e reflita: será que o humano está perdendo o protagonismo e virando apenas um coadjuvante/escravo das novas tecnologias?

 
Compartilhar