Ed Sheeran no VMA 2017
Foto de Ed Sheeran via Shutterstock
 

Plágio é crime e, simultaneamente, um dos assuntos mais polêmicos da indústria fonográfica. As avaliações que configuram esse tipo de crime, no entanto, ainda são muito confusas e imprecisas.

Muitos artistas famosos já passaram por acusações dessa natureza. A situação se desprende em uma ação jurídica até que um dos lados ganhe a causa. Já foram acusados artistas como Lana Del Rey, Mark Ronson, Ariana Grande e muito mais.

Um caso que ganhou repercussão no ano de 2016 incluiu o cantor e compositor Ed Sheeran. Quem fez a acusação foi Ed Townshend por conta do hit “Thinking Out Loud“, lançado em 2014. Segundo ele, a música apresentava grande similaridades com “Let’s Get It On“, clássico de Marvin Gaye cuja composição também é assinada por Townshend.

 

Existe uma fila e ela passa por uma conhecida “escada”

As coisas não são tão simples assim. Apesar de passados três anos, o caso ainda não foi resolvido. Sheeran terá que responder sobre a acusação, mas o prazo tem se prorrogado cada vez mais.

No início do mês, o juiz Louis Stanton cancelou um julgamento agendado para Setembro, e deu o verão para ambas as partes “descansarem”. Ambos os Eds serão convocados para novas audiências apenas depois que um outro caso semelhante for resolvido, caso este que envolve o Led Zeppelin.

Ainda em 2016, uma outra ação judicial envolvia a banda, que supostamente, ao fazer “Stairway to Heaven“, teria plagiado a música “Taurus“, do grupo californiano Spirit. As complicadas conclusões, na época, envolveram a vitória do Led Zeppelin.

Pois bem, parece que o caso foi reaberto.

 

Afinal, o que é plágio?

De acordo com o advogado Eduardo Lycurgo Leite, o plágio pode ser definido como:

(…) a cópia, dissimulada ou disfarçada, do todo ou de parte da forma pela qual um determinado criador exprimiu as suas ideias, ou seja, da obra alheia, com a finalidade de atribuir-se a autoria da criação intelectual e, a partir daí, usufruir o plagiador das vantagens advindas da autoria de uma obra.

Na época do julgamento inicial do caso “Stairway To Heaven”, os advogados da banda acusada alegaram que tal progressão de acordes pode ser encontrada em canções de séculos de existência. Vale lembrar, conforme aponta Leite, que a apropriação de características de cunho criativo também qualificam o crime. Em outras palavras, o uso de um estilo de linguagem ou de elementos estéticos específicos também pode configurar plágio.

Compare abaixo as canções. Você considera que Led Zeppelin e Ed Sheeran estão sendo acusados corretamente? Deixe sua opinião nos comentários!

Ficaremos ligados nos próximos capítulos.